PSDB avisa que não vai amarrar reformas

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quinta-feira, 15 de maio de 2003 as 10:20, por: cdb

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva almoça com a bancada do PSDB na Câmara, nesta quinta-feira, para discutir as reformas tributária e da previdência social, enviadas pelo governo ao Congresso. Com 62 deputados, o PSDB é um dos principais partidos de oposição ao governo, juntamente com o PFL.

O líder do partido na Câmara, Jutahy Magalhães Júnior, afirmou que os tucanos não pretendem realizar qualquer ação protelatória na tramitação das reformas.

– Teremos uma ação técnica, consistente e nítida. Não fecharemos questão sobre nada e teremos uma posição sobre tudo – ressaltou o líder. O almoço acontecerá na residência do presidente da Câmara, João Paulo Cunha.

Jutahy Júnior garantiu que o encontro com o presidente será marcado pela cordialidade.

– Vamos entrar de uma forma respeitosa e sair sendo respeitados – disse o deputado baiano. Acrescentou que a tese das reformas é do PSDB e que o compromisso do partido é com o país. As reformas da previdência e tributária do governo do presidente Lula serão analisadas ponto a ponto, afirmou o parlamentar.

Ele destacou que o fim das isenções fiscais concedidas pelos estados, previsto na reforma tributária, por exemplo, dificilmente será aprovado pela bancada tucana.

Já no que se refere à reforma da previdência, o líder do PSDB afirmou que o objetivo do seu partido é garantir um sistema público seguro. Neste sentido, ele julga necessário um amplo debate sobre pontos, como por exemplo, o aumento do teto do benefício pago pelo INSS para R$2.400,00.

– Esta elevação do teto só representaria um aumento imediato de arrecadação do governo.