Protesto perto de base militar em Caracas deixa 23 feridos

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sábado, 4 de janeiro de 2003 as 00:00, por: cdb

Uma gigantesca manifestação realizada nesta sexta-feira em Caracas por opositores do presidente da Venezuela, Hugo Chávez, nos arredores do maior quartel militar da cidade resultou em choques com a Polícia e deixou 23 pessoas feridas por balas de borracha e golpes de pedras e garrafas.

Centenas de policiais militares usaram cassetetes e bombas de gás lacrimogêneo para dispersar a multidão, que tentava avançar rumo ao quartel para exigir a libertação do general rebelde Carlos Alfonzo Martinez, o oficial mais antigo da Guarda Nacional.

Milhares de manifestantes partiram de diversos pontos de Caracas em direção ao forte Tiuna, onde o general está detido.

Ao longo de quilômetros, a visão aérea da marcha revelava um mar multicolorido de bandeiras da Venezuela. Os opositores do presidente gritavam palavras de ordem contra o governo e tocavam apitos.

Os incidentes de violência foram deflagrados quando simpatizantes de Chávez atacaram a marcha dos opositores com pedras e outros objetos.

Agentes da Guarda Nacional formaram uma corrente humana no meio da rua para separar os dois grupos e evitar novos enfrentamentos.

A chamada “greve cívica” convocada pela oposição como forma de forçar a queda de Chávez entrou em seu trigésimo terceiro dia. No começo da semana, os organizadores do movimento prometeram radicalizar os protestos de rua e iniciar ações de “desobediência tributária”.