Promotores do Rio podem pedir repatriamento de US$ 32 milhões

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado segunda-feira, 13 de janeiro de 2003 as 19:17, por: cdb

O Ministério Público do Rio de Janeiro poderá pedir à Justiça o repatriamento de US$ 32 milhões (cerca de R$ 110 milhões) depositados em contas na Suíça que teriam sido enviados ao país como parte de um suposto esquema de extorsão e remessa ilegal de verbas ao exterior. O MPE informou também que poderá pedir o bloqueio dos bens dos acusados.

O MPE abriu na quinta-feira passada (9) inquérito contra funcionários do governo do Estado que estariam envolvidos no esquema para investigar se houve crime de improbidade administrativa dos servidores do Estado no caso.

O esquema, que também está sendo investigado pelo Ministério Público Federal, envolveria o ex-secretário-adjunto de Administração Tributária do governo de Anthony Garotinho (PSB), Rodrigo Silveirinha Corrêa, que também foi assessor financeiro da campanha de Rosinha Garotinho, atual governadora. Silveirinha seria titular de uma das contas na Suíça que teriam recebido ilegalmente verbas do Brasil.

Entre os servidores do Estado, que estão sendo investigados estão Lúcio Manoel Picanço, Carlos Eduardo Ramos e Romulo Gonçalves. Outros quatro fiscais da Receita Federal estão sendo investigados apenas pelo Ministério Público Federal.

O pedido de seqüestro de bens e repatriamento também foi feito pelo MPF na semana passada.