Promotor desabafa contra volta de traficantes ao Rio

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 15 de maio de 2007 as 10:30, por: cdb

– O STJ vem decepcionando, não só pelos acontecimentos recentes de corrupção, mas com decisões como esta que não atende a população do Rio -. O desabafo é do promotor de Justiça André Guilherme de Freitas, ao saber da decisão do STJ – Superior Tribunal de Justiça – havia determinado o retorno imediato ao Rio dos 12 chefões do tráfico de drogas presos na Penitenciária Federal de Catanduvas, no Paraná.

Para o Promotor, foi uma decisão “lamentável” e sem nenhuma preocupação com o bem-estar do Rio de Janeiro. – Estamos estudando as medidas contra essa decisão – afirmou.

Márcio José Guimarães, Márcio dos Santos Nepomuceno, o Marcinho VP, Elias Pereira da Silva, conhecido como Elias Maluco, Isaias Costa Rodrigues, o Isaias do Borel, Márcio Candido da Silva, Ricardo Chaves de Castro Lima, Charles da Silva Batista, Cláudio José Fontarigo, Leonardo Marques da Silva, Robson André da Silva, o Robinho Pinga, Marco Antônio Pereira Firmino da Silva, conhecido como My Thor, e Marcus Vinicius da Silva, o “Lambari”, são acusados de comandar os ataques criminosos no final do ano passado, e, para o promotor, a presença deles nos presídios da cidade oferece risco à segurança pública. Esse teria sido o motivo da transferência, no início do ano, para custódia federal.

Nesta terça-feira, o Secretário de Segurança do Rio, José Mariano Beltrame, reafirmou sua disposição de esgotar todos os recursos para manter os presos fora do Rio de Janeiro. Segundo Beltrame, caso não seja possível manter os presos em Catanduvas, o Estado vai estudar uma forma de manter esses detentos no Rio e garantir a ordem pública. É previsto que, até esta terça-feira, o novo mandado de segurança seja apresentado ao Superior Tribunal de Justiça (STJ).