Projeto prevê redução de tarifa de energia para carentes

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sexta-feira, 19 de outubro de 2012 as 17:08, por: cdb

Depois de assegurar renda a quem necessita graças à moralização e unificação dos cadastros dos programas sociais, o plano “DF sem Miséria” parte para a ampliação do acesso a serviços.
Essa fase começou nesta quarta-feira, com a assinatura de termo de cooperação entre a Secretaria de Desenvolvimento Social e Transferência de Renda (Sedest) e a Companhia Energética de Brasília (CEB). O acordo prevê a redução de até 65% no valor da conta de energia de cerca de 50 mil beneficiários dos programas sociais.

A ministra do Desenvolvimento Social e Combate à Fome, Tereza Campello, destacou o conjunto de ações diferenciadas promovidas pelo GDF, como o acordo entre a Sedest e a CEB. “Superar a pobreza não inclui apenas aumentar a renda, mas sim garantir cidadania em todos os pontos. A constituição de um cadastro atualizado é um exemplo para os outras unidades da Federação. Esse primeiro ano merece comemoração, mas nem por isso os desafios são menores”, afirmou

O Cadastro Único reúne mais de 250 mil famílias. Desse número, 93.490 são beneficiárias do Bolsa Família e mais de 33 mil recebem o complemento do DF Sem Miséria, de R$ 100 a R$ 300.

O titular da Sedest, Daniel Seidel, afirmou que a secretaria aumentou em 25% o número de favorecidos pelo Bolsa Família. “Queremos manter o acompanhamento das famílias para que elas possam adquirir qualificação pessoal e acesso a outras políticas, como as de educação e profissionalização, para que não dependam mais dos recursos do Estado.”

O DF Sem Miséria também prevê outras ações, como a erradicação do analfabetismo, elevação do nível de escolaridade, acesso aos serviços de saúde, à política habitacional, à energia elétrica, água e esgoto, com a finalidade de promover socialmente as famílias extremamente pobres nas áreas rurais e urbanas