Projeto de criação de Conselho Gestor poderá iniciar nova fase de proteção animal em Montes Claros

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quinta-feira, 19 de abril de 2012 as 06:27, por: cdb

Por:Andréia Pereira

O encontro entre o prefeito de Montes Claros e os representantes da ONG Amigo do Bicho, da Associação Apelo Canino, do Instituto Vida Animal e outros defensores dos animais, realizado quarta-feira (18/04), resultou na proposta de elaboração de uma lei para criação de um Conselho Gestor Municipal de Bem-estar Animal.

Segundo o chefe do Executivo, a ideia é formatar o projeto que os representantes o entregaram, adequando-o à realidade da administração municipal. “Proponho criar uma comissão para formatar esse projeto para que, dentro de um curto e médio prazo, possamos constatar um avanço nesse sistema de proteção animal”, afirmou.

POSTO VETERINÁRIO – Caso aprovada pela Câmara Municipal, a lei será colocada em prática com a implantação de um posto veterinário, que funcionará no Centro de Controle de Zoonoses de Montes Claros. De acordo com o prefeito, o local será adaptado para esterilizar os cães e gatos que são levados para lá. Assim, castrados, eles não reproduzirão. A estratégia, segundo a autora do projeto de criação de postos veterinários, Aline de Jesus, tem como objetivo instituir uma política pública municipal de proteção aos animais. “Com isso, solucionaremos o controle de natalidade da população canino-felina da cidade, principal vetor do abandono de animais”, afirmou Aline.

SAÚDE – Segundo os representantes, falar em proteção aos animais é falar também do cuidado com a saúde humana, já que o cão é considerado o principal reservatório da leishmaniose. O secretário municipal de Saúde, Geraldo Edson, elogiou a iniciativa dos grupos e considerou importante a estratégia da proposta, a fim de solucionar o problema em relação aos cães e gatos, que trará benefícios concretos para toda a população. “Por isso, vamos fazer tudo de forma bem organizada, e o esclarecimento de vocês foi muito relevante para isso”, disse o secretário.