Programa Mulheres Mil vai garantir profissionalização de moradoras de São Carlos e Belmont

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 28 de fevereiro de 2012 as 09:20, por: cdb

Tweet

   Representantes da coordenadoria municipal de Políticas Públicas para Mulheres e da secretaria municipal de Educação estiveram presentes na aula inaugural do Programa Mulheres Mil, somando uma parceria importante com o governo federal na execução de ações em prol de mulheres em vulnerabilidade social.

   O programa desenvolvido pelo Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Rondônia – IFRO – foi implantado no estado há dois anos, inicialmente no campus de Ji-Paraná e agora chega a Porto Velho.

   Com o apoio da prefeitura de Porto Velho, assim como Sebrae, Senar e Jocum mulheres da faixa mais carente da sociedade terão acesso a cursos profissionalizantes.”A iniciativa é do governo federal, mas o programa não seria possível sem parcerias importantes como a coordenadoria de mulheres que traz até as alunas conhecimentos sobre seus diretos e deveres para uma sociedade mais justa e igual”, destacou a Pró Reitora de Extensão do IFRO, Marilise Esteves. Ela salienta ainda que o programa tem o objetivo de promover a qualificação profissional e a geração de renda e melhora a qualidade de vida das mulheres e consequentemente das suas famílias.

   Neste primeiro momento foram oferecidas para Porto Velho 100 vagas distribuídas para moradoras da comunidade do Belmont e para as mulheres do distrito de São Carlos. Segundo a gestora local do programa em Porto Velho, Laura Nogueira, em 10 meses de aulas as alunas passarão por oito módulos. “As nossas mulheres mil vão receber aulas de matemática, português, que estão ao encargo da secretaria de educação através do Pro Eja que visa desenvolver o aumento da escolaridade destas mulheres. Elas receberão ainda aulas de informática básica e artes, alem de praticas de empreendedorismo, associativismo, e cooperativismo que serão ministradas por instrutores do Sebrae assim como as orientações de gêneros repassadas pela coordenadoria de mulheres e aulas de praticas de saúde “, explica ela.

   Estas 100 primeiras alunas irão participar do curso de moda que alem dos oito módulos receberão mais três específicos de corte e costura sendo um de moda feminina, uma de masculina e um de moda intima, que o que irá habilitar qualquer uma delas para o mercado de trabalho.

   Entre as metas estabelecidas pelo programa Mulheres Mil estão à erradicação da extrema pobreza e da fome, autonomia das mulheres e garantia da sustentabilidade ambiental, combate à violência contra mulher e acesso à educação. O programa possibilitará a inclusão social, por meio da oferta de formação focada na autonomia e na criação de alternativas para a inserção no mundo do trabalho, para que essas mulheres consigam melhorar a qualidade de suas vidas e das de suas comunidades.

Por: Edina Silva
Fotos: Quintela

Próximo &gt