PRF redobrará fiscalização nas estradas cearenses no feriado prolongado

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 31 de março de 2015 as 14:19, por: cdb
Policiais rodoviários terão atenção especial para ultrapassagens proibidas e excesso de velocidade nas rodovias federais no Ceará
Policiais rodoviários terão atenção especial para ultrapassagens proibidas e excesso de velocidade nas rodovias federais no Ceará

 

Viajar em feriados prolongados como a Semana Santa, quando aumenta o fluxo de carros nas rodovias, requer cuidados especiais por parte dos motoristas. O consultor de esportes Germano Lima viajará de carro de Juazeiro do Norte a Campos Sales, municípios da região do Cariri, no Ceará. São 147 quilômetros de estrada já previamente planejada. “Eu soube que há um trecho da estrada que está em obras e, por isso, está sem a sinalização horizontal. Eu já sei que vou ter mais cuidado, observar os veículos que vem no sentido contrário e evitar fazer ultrapassagens”, observou.

A operação de trânsito da Polícia Rodoviária Federal (PRF) para a Semana Santa começa na próxima quinta e vai até a meia-noite da próxima segunda-feira. No Ceará, a PRF redobrará a fiscalização nas ultrapassagens proibidas, no excesso de velocidade e nos motociclistas.

O uso da motocicleta nos municípios do interior do estado é bem intensa, mas muitos condutores, segundo a PRF, não têm compromisso com a segurança. “Motociclistas, no interior, não têm usado capacete, por vezes transportam três pessoas, estão com o licenciamento atrasado e a maioria não é habilitada. Você tem uma situação completa de infrações, onde o risco maior é a perda da vida dessas pessoas que estão sendo transportadas”, relata o chefe do núcleo de comunicação social da PRF no Ceará, Alexsandro Batista.

De acordo com o inspetor, a BR 222 é um exemplo triste da imprudência na condução de motocicletas: cerca de 70% dos acidentes com vítimas graves registrados em 2014, na rodovia, envolveram um veículo motorizado sobre duas rodas.

Para ele, não adianta intensificar as fiscalizações nas estradas se o condutor não tiver responsabilidade pela sua segurança e pela dos outros. “Somente o esforço de fiscalização não é suficiente para debelar essa realidade que está instalada, e me refiro ao trânsito durante o ano todo. Em cerca de 85% dos acidentes, a falha é humana. Quem leva a segurança para o veículo é o próprio condutor, com medidas proativas, com a condução defensiva, pensando no seu objetivo que é chegar no destino, rever seus parentes e amigos, enfim, fazer seu deslocamento com total segurança e tendo total controle sobre seu veículo”, ressaltou o policial.