Prevenção de doenças da visão preserva qualidade de vida dos idosos

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sexta-feira, 2 de outubro de 2009 as 14:31, por: cdb

Neste domingo, às 10h, será realizada no Retiro dos Artistas a palestra gratuita Saúde da visão em idosos. É preciso preservá-la..

Trata-se de uma iniciativa da Sociedade Brasileira de Oftalmologia (SBO) e da Sociedade Brasileira de Retina e Vítreo (SBRV) em parceria com a associação de pacientes Retina Rio.

O objetivo é aproveitar o Dia Mundial da Visão, no dia 8, para conscientizar a população sobre as doenças de visão que atingem os idosos, cujos sintomas são, em muitos casos, encarados como um processo natural do envelhecimento.

 Os sinais de doenças como, por exemplo, degeneração macular relacionada à idade (DMRI), glaucoma e retinopatia diabética, são ainda desconhecidos por grande parte da população. O evento será comandado de perto pelo ator Stepan Nercessian, presidente da casa.    

Em 2020, as pessoas com mais de 60 anos serão 14% da população (atualmente são 10%). Segundo dados do IBGE, a expectativa de vida da população está em 73 anos e, em 2050, a projeção é alcançar o patamar de 81 anos.

Como consequência desse crescimento, há também um aumento na incidência de algumas doenças relacionadas ao envelhecimento. E quando se trata de saúde, os olhos muitas vezes são deixados de lado. Principalmente quando o tempo vai passando e as pessoas acreditam que dificuldades de enxergar fazem parte do processo de envelhecimento.

É importante lembrar que catarata, glaucoma, retinopatia diabética e doenças degenerativas podem ser diagnosticadas de forma precoce, evitando ou postergando diversos prejuízos à qualidade de vida do idoso e seus familiares. Afinal, em estágio avançado, algumas delas podem evoluir e até mesmo levar à cegueira, fazendo com que o paciente se torne dependente de um cuidador.

Nos casos de degeneração macular relacionada à idade (DMRI), por exemplo, cerca de 80% das pessoas diagnosticadas já apresentam a doença em estado avançado, o que dificulta a realização do tratamento efetivo da doença.

Essa realidade, que também gera grande impacto financeiro para os familiares, pode ser facilmente evitada com uma palavra: prevenção. Consultas anuais ao oftalmologista ou especialistas da visão, como o retinólogo, devem fazer parte da rotina das pessoas com mais de 65 anos de idade e os familiares devem incentivá-las.