Prestige continua a liberar óleo na costa espanhola

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado segunda-feira, 12 de maio de 2003 as 09:15, por: cdb

O petroleiro Prestige, afundado há seis meses a 3.500 metros de profundidade ao largo da Galiza, ainda libera diariamente duas toneladas de óleo-cru, de acordo com fonte do Estado-Maior da Armada Portuguesa.

O navio, afundado em novembro ao largo da costa da Galiza, já liberou no mar mais de 30 mil das 77 mil toneladas de óleo que transortava, provocando uma catástrofe ecológica nas praias do norte de Espanha, e continua a ser considerado um perigo no fundo do oceano.

A Comissão Científica Internacional criada pelo governo espanhol para estudar o petroleiro concluiu que os tanques do Prestige poderão romper-se dentro de 20 a 40 anos se não forem tomadas mais medidas para extrair o material que ainda se encontra na embarcação.

Devido a este perigo, Portugal mantém o “estado de alerta”, embora apenas com voos quinzenais da Força Aérea a sobrevoar a costa portuguesa, disse o porta-voz do Estado-Maior da Armada.

Especialistas portugueses admitem existir o risco de que algumas manchas de óleo cheguem ao litoral português e espanhol.