Pressionado, governo golpista de Honduras suspende Estado de Sítio

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado segunda-feira, 5 de outubro de 2009 as 17:13, por: cdb

O governo de facto de Honduras revogou, na tarde desta segunda-feira, um decreto que restringia as liberdades civis, abrindo caminho para um eventual diálogo que coloque fim à pior crise política do país em décadas. Com esta decisão, o presidente de facto, Roberto Micheletti, cede às pressões externas e internas que exigiam a revogação do decreto que suspendeu as liberdades de imprensa, associação e circulação.

– Fica revogado completamente – disse Micheletti em coletiva de imprensa.

O decreto serviu às forças golpistas o expediente de tirar do ar a Rádio Globo e o Canal 36, ligados ao presidente Manuel Zelaya, deposto em 28 de junho. Ele está refugiado na Embaixada do Brasil em Tegucigalpa desde que retornou ao país, em 21 de setembro. As forças de segurança do governo de facto também prenderam 55 cidadãos hondurenhos, entre eles seis mulheres e duas crianças, que ocupavam o prédio do Instituto Nacional Agrário (Ina) há três meses.

Segundo a agência de notícias francesa France Presse, 38 pessoas continuam mantidas em cárcere federal. Eles iniciaram neste fim de semana uma greve de fome na Penitenciária Nacional em favor da restituição do presidente deposto. Micheletti vinha recebendo pressão até mesmo de seus seguidores, que condenaram o decreto por interferir diretamente na campanha eleitoral para as presidenciais de 29 de novembro.