Presos se rebelam ao saber da saída de assassinos de garçom

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quinta-feira, 27 de fevereiro de 2003 as 20:06, por: cdb

Mais de setenta presos do Complexo Policial de Porto Seguro fizeram uma rebelião nesta quarta (26/02) ao saberem da soltura dos sete rapazes de Brasília acusados de terem matado o garçom Nelson Simões dos Santos em outubro de 2001.

“Desde ontem (quarta-feira) à noite, quando os presos souberam da soltura dos rapazes de Brasília começaram a comentar a diferença de tratamento e hoje deflagrou a rebelião”, comentou um policial. “Aqui tem gente esperando há mais de três anos e eles já estão fora depois de quatro meses”, disse um preso que pediu para não ser identificado.

Armados com vergalhões de ferro e “chuços”, os presos escolheram alguns deles como reféns: três mulheres, identificadas como Izilda, Isa e a menor J. e um homem de cabelos compridos e barba, cuja identidade não foi divulgada.

Sessenta policiais militares e vários policiais civis e delegados, fortemente armados, cercaram o Complexo Policial, para evitar possíveis fugas. O motim começou quando os presos quebraram as grades de várias celas e passaram a ter o controle da área de carceragem.