Presos 10 suspeitos de ligação com máfia dos hospitais do Rio

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 16 de setembro de 2003 as 20:04, por: cdb

O cerco à máfia que atua nos hospitais federais do Rio foi reforçado nesta terça-feira com a prisão de 10 suspeitos de integrar um esquema de corrupção na prestação de serviços de lavanderia. A fraude consistia no aumento abusivo do número de toneladas de roupas limpas.

Agentes da Polícia Federal surpreenderam oito funcionários da empresa Brasil-Sul Indústria e Comércio e dois do Hospital dos Servidores do Estado (HSE), lotados no setor de rouparia, usando notas superfuradas. Três veículos da empresa, que também presta serviço para o Instituto Nacional de Traumato-Ortopedia (Into), o Hospital Geral de Bonsucesso (HGB) e Hospital do Andaraí, foram apreendidos.

Durante a operação, o delegado responsável pelo caso, Daniel Brandão, também constatou a infração das normas de controle bacteriológico. A entrega de roupas limpas e o recolhimento das sujas eram feitos em um mesmo veículo.

A diretora do HSE, Ana Lipke, esteve reunida nesta terça-feira, em Brasília, com os diretores dos outros quatro hospitais federais do Rio para discutir o relatório do Departamento Nacional de Auditoria do SUS e fazer um balanço da situação em cada unidade.

Ficou decidido que cinco grupos de trabalho formados por técnicos do ministério e dos próprios hospitais conduzirão a reorganização das unidades. O secretário de Atenção à Saúde do ministério, Jorge Solla, anunciou que novas sindicâncias serão abertas nos HSE, HGB, e Hospital de Cardiologia de Laranjeiras.