Presidente iraniano rejeita “belas palavras” de Obama

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sábado, 3 de abril de 2010 as 14:19, por: cdb

O presidente iraniano, Mahmoud Ahmadinejad, rejeitou um novo apelo dos Estados Unidos para retomar as conversações diplomáticas e resolver o impasse da questão nuclear, dizendo que ele não via mudanças na política hostil de Washington.

Ao discursar durante a inauguração de uma fábrica neste sábado, Ahmadinejad disse que uma mensagem do presidente americano Barack Obama, comemorando o ano novo iraniano no mês passado, tinha “três ou quatro palavras bonitas” mas nada substancialmente novo.

– Eles dizem que ‘estendemos nossas mãos ao povo do Irã, mas o governo iraniano e o povo do Irã as recusaram’. Que mãos vocês estenderam em nossa direção? –, disse Ahmadinejad em um pronunciamento na TV.

– O que mudou? Vocês retiraram as sanções contra o país? Interromperam a propaganda negativa? Diminuíram a pressão? Mudaram sua atitude em relação ao Iraque, Afeganistão e Palestina?

Depois de assumir a Presidência no ano passado, Barack Obama deu indícios que negociaria com o Irã, se o país “saísse da defensiva”.

Mas, ao acusar Teerã de rejeitar conversações diplomáticas sobre seu programa nuclear, que, segundo Washington, planeja produzir uma bomba nuclear, Obama está pressionando o mundo a impor novas sanções da ONU.

– O Irã poderia facilmente arcar com novas sanções sobre as importações de petróleo –, disse Ahmadinejad, completando que tais medidas servirão apenas para fortalecer a determinação do seu povo.

– Vocês devem entender que, quanto mais hostis vocês forem, maior será o incentivo do nosso povo, ele dobrará – , disse.

– Eles dizem que querem ‘sanções no petróleo’. Por quê não fazem isso? Quanto antes, melhor.

Ahmadinejad também mandou um recado para Israel, que está propondo uma ação internacional dura, para interromper o programa nuclear iraniano e que não desistiu de tomar medidas militares contra o que o país vê como uma ameaça à sua existência.

Falando sobre os ataques aéreos israelenses de sexta-feira à Faixa de Gaza, governada pelo Hamas — grupo apoiado pelo Irã–, Ahmadinejad disse:

– Mais uma vez, alerto aos líderes dos poderes arrogantes e os defensores do regime sionista para que não cometam um novo erro no Oriente Médio. Atacar Gaza terá um custo muito alto.