Presidente do PFL pede a expulsão de ACM

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quinta-feira, 20 de novembro de 2003 as 11:32, por: cdb

O senador Jorge Bornhausen (SC), presidente do PFL, não parece disposto a aceitar os acenos de ACM que busca a reconciliação com o “kaiser”. Há pouco, Bornhausen comunicou aos integrantes da Executiva Nacional do PFL que está se licenciando do comando do partido por 30 dias.

Ele quer estar mais livre para poder levar adiante a representação que formulou contra ACM, pedindo sua expulsão sumária do partido.

Bornhausen pretende neutralizar o senador baiano que se mostrou surpreso com a representação pedindo sua expulsão. Ele disse que não chamou Bornhausen de ladrão e que o termo “roubar” aplicado por ele, teria outra conotação.

Segundo Antonio Carlos Magalhães, Jorge Bornhausen estaria “roubando” o partido ao privilegiar mais alguns estados em detrimento de outros. Ele disse que o PFL da Bahia ou de Goiás não era valorizado pelo presidente nacional do partido.

De qualquer forma, a reunião da Executiva do PFL, partido considerado o mais profissional de todos os partidos brasileiros, mostra que há uma forte defecção na sigla. A exemplo do PMDB, o PFL também estaria rachando internamente.