Presidente do BC afirma que queda dos juros está se concretizando

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 15 de maio de 2007 as 21:10, por: cdb

Em resposta ao ministro do Planejamento, Paulo Bernardo, que defendeu nesta terça-feira no Fórum Nacional de Altos Estudos a formação de um “corinho” para que o Banco Central baixe os juros diante do cenário favorável da economia, o presidente da instituição, Henrique Meirelles, disse que o pedido é um desejo de todos e que ” isto está se concretizando”.

De acordo com Meirelles, os juros observados hoje na economia brasileira são os mais baixos da história recente do país.

– A Selic (taxa básica) está em um nível que é o menor desde que ela foi instituída. A taxa de juros real no mercado a termo, que é um indicador importante para a economia, está em seu nível mais baixo desde que a série começou a ser medida. Portanto, o importante é que nós persistamos na política de manter a inflação na meta e de manter todos os demais indicadores na direção correta -, disse.

A taxa Selic está atualmente em 12,5% ao ano.

O presidente do Banco Central disse estar convicto de que todos os indicadores econômicos, incluindo o balanço de pagamentos, a acumulação de reservas, a relação dívida-Produto Interno Bruto (que é a soma das riquezas produzidas no país), são favoráveis. E incluiu nesse rol a evolução da taxa de juros real de mercado de longo prazo.

Meirelles não confirmou se o câmbio estaria tendo um peso cada vez maior nas decisões do Comitê de Política Monetária (Copom). Esclareceu apenas que as decisões do Copom se baseiam em fatores que são incorporados em modelos macro-econométricos. Mas, segundo ele, esses modelos não prevalecem necessariamente sobre as decisões com análise qualitativa dos membros do comitê.

– O fato concreto é que não é um ou outro ponto. Todos os fatores econômicos relevantes são levados em consideração pelos membros do Copom. O peso do câmbio já tem sido objeto de diversas análises e isso é expresso nas projeções de inflação que estão nos relatórios do Banco Central -, disse.

Meirelles explicou que o peso do câmbio depende do momento e da estrutura de cada modelo. Ele reiterou que o BC não comenta a todo momento cada um dos fatores e disse que “o importante é que o Brasil está indo na direção certa”.

Segundo Meirelles, o Brasil tem um balanço de pagamentos favorável, a balança comercial tem mostrado superávits importantes, as exportações também continuam evoluindo de forma positiva, da mesma forma que as reservas, e o risco país se mantém em queda. “Em resumo, está dando certo”, disse o presidente do Banco Central.