Presidente do Banespa diz que juro alto é culpa do governo e não do banco

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 16 de setembro de 2003 as 21:45, por: cdb

O presidente do Bradesco, Marcio Cypriano, disse que os juros altos não são culpa dos bancos. “Taxa de juros é um instrumento de política econômica. Quanto menor ela for, melhor para os bancos”, diz.

– Não emprestamos porque não tem tomador. Não nos preocupamos com as declarações do ministro porque estamos fazendo a nossa parte – diz Cypriano, rebatendo as declarações do ministro-chefe da Casa Civil, José Dirceu, que acusou os bancos de não emprestarem ao setor produtivo.

O executivo esteve em Brasília lançando o ciclo de reuniões anuais da instituição financeira com analistas de mercado. Ele disse não ter ouvido diretamente o que Dirceu declarou na segunda-feira, mas, em relação às críticas do ministro de que as instituições financeiras receberam muito do país e dão pouco em troca, Cypriano disse que o Proer “não beneficiou os bancos”.

Segundo ele, o Bradesco, em particular, tem respondido imediatamente após as decisões do Comitê de Política Monetária (Copom0 e anunciado cortes em suas taxas de juros. Ele informou que a taxa de juros está alta no país “porque o governo se preocupou em manter a estabilidade econômica para tirar recursos da inflação, que estava galopante”.

Cypriano insistiu que “o juro alto não é bom para os bancos”. De acordo com ele, quanto menor o custo do dinheiro, mais as instituições financeiras têm condições de ampliar seu leque de operações e ofertar mais produtos para, portanto, melhorar o relacionamento com as empresas.

Ele lembrou que entram no cálculo para o custo do dinheiro a inadimplência e o compulsório recolhido ao Banco Central.