Presidente de facto inaugura linha de metrô construída na gestão Dilma

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sábado, 30 de julho de 2016 as 16:28, por: cdb

Temer revelou que quando o Rio foi escolhido como sede dos Jogos, em 2009, teve dúvidas se o país chegaria a 2016 com o mesmo clima de alegria que tomou conta após a escolha

 

Por Redação – do Rio de Janeiro

 

O presidente de facto, Michel Temer, inaugurou neste sábado a Linha 4 do metrô do Rio de Janeiro, a seis dias da cerimônia de abertura dos Jogos Olímpicos. Ao inaugurar a linha do metrô, a principal obra de mobilidade urbana para o evento esportivo que será aberto em cerimônia na próxima sexta-feira, Temer reconhece que o país tem sido marcado por divisões políticas desde a eleição presidencial de 2014 e em meio ao processo de impeachment contra a presidenta Dilma Rousseff.

Temer aparece na cabine da composição ao lado do governador em exercício, Dornelles, e de Fernando Pezão, afastado
Temer aparece na cabine da composição ao lado do governador em exercício, Dornelles, e de Fernando Pezão, afastado

Temer revelou que quando o Rio foi escolhido como sede dos Jogos, em 2009, teve dúvidas se o país chegaria a 2016 com o mesmo clima de alegria que tomou conta após a escolha. Mas, segundo ele, com o tempo e com as obras realizadas, as dúvidas se dissiparam.

Metrô mais rápido

O presidente de facto inaugurou a estação Barra da Tijuca da Linha 4 do metrô do Rio, localizada na região da cidade que abrigará a maior parte dos eventos da Olimpíada. O metrô foi um dos compromissos assumidos pelas autoridades para a realização dos Jogos. A Linha 4, que vai ligar a Zona Sul à Zona Oeste e deve aliviar o trânsito na cidade, estará aberta nos Jogos somente para a chamada “família olímpica” — atletas, delegações, jornalistas e trabalhadores envolvidos no evento.

Após o evento, a Linha 4 sofrerá uma parada para ajustes de sistema e será reaberta para a Paralimpíada, também com operação restrita. A expectativa é que até o fim do ano ela esteja operando a plena capacidade e atendendo a população. O orçamento inicial na fase conceitual da obra era de cerca 5 bilhões de reais, mas depois a projeção foi ajustada para mais de R$ 7 bilhões. Ao final, a Linha 4 custou quase 10 bilhões de reais, sendo R$ 8,5 bilhões bancados pelo governo do Estado.