Presidente da Geórgia renuncia

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado domingo, 23 de novembro de 2003 as 16:30, por: cdb

O presidente da Geórgia, Eduard Shevardnadze, renunciou neste domingo ao cargo depois de uma intensa campanha da oposição, que tomou as ruas do país. “Vejo que sem sangue isto não seria resolvido e me veria obrigado a fazer uso dos meus poderes, mas considero que isso não pode ser feito”, disse. Shevardnadze acrescentou que está acostumado a renunciar, em alusão a sua carreira na antiga URSS.

Nino Burdjanadze, a “presidente interina” da Geórgia, presidente do Parlamento cessante e co-líder da oposição, juntamente com Mikhail Saakachvili, gritou pela primeira vez “vitória” aos milhares de manifestantes reunidos em frente ao Parlamento.

Burdjanadze deverá exercer as funções de chefe de Estado até à realização de presidenciais e legislativas antecipadas, que deverão ocorrer no prazo de 45 dias, de acordo com a lei georgiana
Shevardnadze pediu demissão do cargo de ministro de Assuntos Exteriores soviético após denunciar a preparação de um golpe de Estado para acabar com as reformas do presidente Mikhail Gorbachov. “Tenho muito o que fazer e tenho o que escrever. Para mim será uma felicidade ter tempo para algo enquanto continuar vivo”, disse.

Perguntado sobre quem deveria assumir o poder, Shevardnadze foi lacônico: “Isso já não é assunto meu”. Antes de renunciar Shevardnadze esteve reunido com o ministro russo das Relações Exteriores, Igor Ivanov, e os líderes da oposição na Geórgia, Mikhail Saakachvili e Zurab Jvania na residência presidencial. Em frente a casa milhares de pessoas ameaçavam invadi-lá.

Saakashvili classificou a decisão de Shevardnadze de “um ato corajos para evitar uma guerra civil”. Javania, que é ex-presidente do Parlamento, anunciou que a Geórgia realizará eleições presidenciais em 45 dias. Enquanto isto os manifestantes e a oposição comemoram a decisão na Praça da Liberdade.