Presidente da Bolívia é chamado de covarde pela oposição

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 5 de novembro de 2003 as 01:03, por: cdb

O líder da oposição boliviana, Evo Morales, chamou o presidente da Bolívia, Carlos Mesa, de ‘covarde’. Morales acusou Mesa de se submeter à política dos Estados Unidos, como seu sucessor Gonzalo Sánchez de Lozada.

– Lamentavelmente, por pressão dos Estados Unidos, o presidente Carlos Mesa está seguindo os mesmos passos do assassino Goni (Sánchez de Lozada) e isto é muito perigoso para os movimentos populares bolivianos e para toda a democracia – afirmou Morales.

Gonzalo Sánchez de Lozada renunciou em outubro passado, após uma revolta popular que deixou mais de 80 mortos. Deputado socialista e líder dos plantadores de coca, Morales citou as recentes declarações de Mesa no Panamá, onde o presidente participou das comemorações do primeiro centenário da independência do país da América Central.

– Sou acusado de covarde e de ser o responsável por tantas mortes na Bolívia (durante o levante popular que derrubou Sánchez de Lozada), mas afirmo que covarde é Carlos Mesa, que foi ao Panamá para denegrir os líderes sindicais bolivianos – declarou.

Mesa disse na Cidade do Panamá que a Bolívia enfrenta uma crise econômica profunda e forte tensão social. O presidente também prometeu erradicar as plantações de coca na região do Chapare, bastião político de Morales, no centro do país.

Carlos Mesa revelou ainda no Panamá que os setores mais radicais da oposição e os sindicatos lhe deram um prazo de 90 a 120 dias para resolver as causas da crise, o que é impossível de se realizar.

O sucessor de Sánchez de Lozada ‘é presidente graças às lutas sociais e tem que estar a serviço dos movimentos sociais, resolver os problemas sindicais’, concluiu Evo Morales.