Presidente boliviano denuncia tentativa de golpe de Estado promovido pela direita

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado segunda-feira, 25 de junho de 2012 as 12:03, por: cdb
Evo
Evo Morales preside a Bolívia com o apoio da população indígena

Presidente da Bolívia, Evo Morales advertiu que setores da oposição usam policiais amotinados por causas salariais para preparar um golpe de Estado naquele país. Seria a terceira tentativa de derrubar o governo em cinco anos. Evo denunciou, ainda, que alguns homens uniformizados planejaram matar um ministro e atacar as Forças Armadas.

– Essas pessoas que privatizaram empresas usam alguns irmãos policiais para preparar um golpe de Estado, matar o ministro (Carlos Romero, do Interior) e enfrentar as Forças Armadas com coquetéis molotov – afirmou Morales durante um ato público em um povoado mineiro.

Sobre a forma como estas informações foram colhidas, Evo disse que tem fontes de informação seguras”.

– Os próprios policiais que participam desse processo (de linha oficialista), que trabalham por sua instituição, estão nos mantendo informados – afirmou.

Evo assinalou que “a direita quer que haja um morto, e não iremos nos submeter aos jogos da direita”. Ele convocou seus simpatizantes a defender o governo esquerdista, iniciado em janeiro de 2006. Os policiais de baixa patente de várias cidades da Bolívia estão amotinados desde a última quinta-feira, exigindo uma base de remuneração de 2 mil bolivianos (US$ 287). Eles criticaram o acordo fechado entre os líderes sindicais e o Executivo na manhã deste domingo, que contempla um aumento de 220 bolivianos (US$ 32) em seu salário mensal.

Comments are closed.