Premiê da Islândia é o mais votado mas pode perder o governo

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado domingo, 11 de maio de 2003 as 11:55, por: cdb

O partido liderado pelo primeiro-ministro da Islândia, David Oddsson, se manterá como o mais votado do país depois das eleições deste sábado, mas ainda não se sabe se controlará o próximo Governo.

Segundo os resultados oficiais anunciados este domingo, o Partido da Independência, de Oddsson, conquistou 22 das 63 cadeiras do Parlamento (33,7 por cento dos votos), enquanto os social-democratas somaram 20 (31 por cento), o centrista Partido do Progresso, 12 (17,7 por cento); os Verdes, 5 (8,8 por cento) e os Liberais, 4 (7,4 por cento).

O partido de Oddsson, que perdeu dois deputados, governava até agora em coalizão com os centristas e, embora a soma das cadeiras de ambas as forças lhes garanta a maioria absoluta, o Partido do Progresso pode não manter a aliança.

– Será difícil formar um Governo – disse à televisão nacional o atual ministro de Assuntos Exteriores e chefe do Partido do Progresso, Halldor Asgrimsson.

Os centristas, que mantiveram as 12 cadeiras que já tinham, podem se aliar agora aos social-democratas -que ganharam três deputados- de Ingibjorg Solrun Gisladttir, o líder da oposição.

Segundo a imprensa local, tanto ela como Asgrimsson podem substituir Oddsson à frente do Governo.

Esperando a decisão do Partido do Progresso, Oddsson, que depois de doze anos no poder é o chefe de Governo mais antigo da Europa, insistiu em que seu Executivo ainda tem maioria, mas reconheceu sua “decepção” com os resultados.