Prefeitura e Transerp detalham concessão do transporte coletivo urbano

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 18 de abril de 2012 as 15:56, por: cdb

Ribeirão Preto, 19 de Abril de 2012

Prefeitura e Transerp detalham concessão do transporte coletivo urbano
Uma apresentação detalhada de como será o transporte da cidade, com a licitação, foi feita à imprensa

 

Fotos Roberto Galhardo

Para a prefeita Dárcy Vera este é um momento histórico para Ribeirão Preto

 
A prefeita de Ribeirão Preto, Dárcy Vera, e o diretor superintendente da Transerp, William Latuf, fizeram nesta quarta-feira, 18 de abril, no Salão Nobre do Palácio Rio Branco, uma apresentação detalhada sobre a concessão do transporte coletivo urbano, cujo vencedor da licitação foi o Pró-Urbano – Consórcio Ribeirão Preto de Transportes – formado pelas empresas Rápido D’Oeste, Turb Transporte Urbano, Transcorp, de Ribeirão Preto e Sertran Sertãozinho Transporte e Serviços.

O Pró-Urbano terá a concessão do transporte em Ribeirão Preto por 20 anos e o início da operação será em até seis meses após a assinatura do contrato. Com a implantação da nova rede de transporte coletivo, várias mudanças serão realizadas.

De acordo com a prefeita, Dárcy Vera, este é um momento histórico para Ribeirão Preto, já que a última licitação do transporte coletivo urbano na cidade aconteceu em 1984. “Ribeirão Preto passa a viver uma nova fase no transporte coletivo urbano. Os usuários do transporte contarão com o que há de melhor e mais moderno”, enfatiza.

O diretor superintendente da Transerp, William Latuf, explicou que a concessão visa melhorar a qualidade e o desempenho do transporte coletivo; proporcionar condições para que o serviço de transporte coletivo seja mais utilizado pela população; estabelecer um plano de metas para a evolução e o aperfeiçoamento do serviço; e viabilizar investimentos em obras e tecnologias de transporte coletivo. “Conseguimos em tempo recorde iniciar e terminar o certame licitatório que é bastante complexo”, completou Latuf.

A prefeita declarou que a Administração Municipal será rigorosa com as metas. “Quero que a Transerp tenha fiscais para acompanhar a implantação da nova rede de transporte, passo a passo”, afirma. “A atual administração da Transerp cobra e exige o cumprimento de tudo”, explica Latuf.

Acompanharam a apresentação o vice-prefeito, Marinho Sampaio; os secretários de Governo, Jamil Albuquerque; da Casa Civil, Layr Luchesi Júnior; de Planejamento, Fernando Piccolo; Infraestrutura, Youssef Miguel Iun; Negócios Jurídicos, Vera Zanetti; presidente da Cohab, Sílvio Martins; presidente da Fundação D. Pedro II, Josué Peixoto; superintendente da Guarda Civil Municipal, André Tavares; e o vereador Nilton Gaiola.

 

 
O diretor superintendente da Transerp, William Latuf, deu detalhes da concessão

 

Principais mudanças com a concessão

Sistema Estrutural
– criação de 4 linhas em corredores diametrais (duas no eixo Norte/Sul e duas no eixo Leste/Oeste; 2 linhas circulares; 2 linhas perimetrais e linha Aeroporto/Rodoviária.

Sistema Convencional
– criação de 7 novas linhas radiais; 2 novas linhas noturnas (corujões); e ampliação de oferta de horários em 61 linhas.

Sistema Alimentador (atual Leva e Traz)
– criação de 4 novas linhas e ampliação de oferta de horários em 20 linhas.

Frota
– veículos novos (zero km); elevadores para usuários de cadeira de rodas; sistema de ventilação e exaustão forçada; ônibus padron, com maior capacidade e conforto, sendo comprimento mínimo de 13 metros e 3 portas largas; ônibus convencional com maior capacidade, sendo comprimento mínimo de 12 metros e 3 portas largas; microônibus com maior capacidade, comprimento mínimo de 8,5 metros e 2 portas.

– serão 61 ônibus tipo padron, 287 convencionais e 23 microônibus. Um acréscimo de 10% no número de veículos e de 42% na quantidade de horários.

Terminais e Estações
– implantação de 2 terminais de ônibus urbanos na área central, sendo Terminal Jerônimo Gonçalves e Terminal Central; implantação da Estação Catedral com plataformas climatizadas e controladas por portas automáticas, com catracas e validadores, nas praças da Bandeira e Catedral; e construção de 8 estações de integração nos bairros, com estruturas de apoio à integração das linhas alimentadoras, com abrigos de maior porte.

Corredores Estruturais
– estações de ônibus com abrigos e piso da calçada padronizados; sistema de informação ao passageiro com nome da estação, painel de informações sobre as linhas e horários de passagem previstos; sinalização identificando a faixa preferencial e a parada de ônibus; tratamento urbanístico nos cruzamentos com rebaixamento de guias nas travessias de pedestres; e extensão total prevista de 40,6 quilômetros.

Controle de Operação e de Segurança
– implantação de sistema de monitoramento com equipamento GPS, de transmissão de dados e de rádio comunicador em toda a frota; central de controle operacional; implantação de controle e segurança por imagem com 4 câmeras em cada veículo, sendo 3 para o ambiente interno e 1 para o externo; câmeras nos terminais, nas estações de integração e na Estação Catedral.

Sistema de Informação ao Passageiro
– implantação da Central de Relacionamento com o Passageiro; instalação de painéis eletrônicos para informação de horários de passagem dos ônibus, em tempo real, nos principais pontos de interesse; codificação e identificação de todos os pontos de parada; criação de sistema de processamento para informar, através do telefone celular, via SMS, os horários de passagem dos ônibus, em tempo real; instalação de painéis com mapas da rede e horários previstos dos ônibus nos principais pontos de interesse; criação e manutenção do site Ônibus Ribeirão Preto; criação do Call Center gratuito; instalação de painéis digitais nos ônibus.

Cobrança e Sistema de Arrecadação
– ampliação das facilidades para acesso e utilização dos cartões eletrônicos com a ampliação de 2 para 4 lojas de emissão e recarga de cartões; equipamentos de recarga de cartões nos terminais, estações de integração e Estação Catedral; implantação do Cartão Empresarial; agentes de cobrança para os pontos com maior demanda de passageiros; acesso da conta corrente do cartão através da internet; sistema de bloqueio on-line do uso do cartão por solicitação de seu titular, em caso de roubo, furto, extravio ou perda.

Tarifa
– eliminação do acréscimo tarifário na integração entre as linhas, mantendo o período de validade de 2 horas e ampliando o limite de uso para 3 integrações; implantação de gratuidade para os estudantes.

Atendimento aos Passageiros Preferenciais
– criação de Código de Conduta para tratamento dos passageiros; treinamento para os empregados; veiculação de campanhas de esclarecimento à sociedade sobre os direitos dos passageiros preferenciais; identificação, com cor, dos assentos preferenciais; implantação de sistema de identificação das linhas para deficientes visuais.

Gestão
– implantação de sistema de indicadores e metas para monitorar a qualidade do serviço prestado pela nova concessionária; criação de novo Regulamento de Transporte Coletivo; ampliação da estrutura da Transerp.

 

Conceito de Estação de Integração