Prefeitura conclui plano de cargos dos servidores

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado segunda-feira, 12 de março de 2012 as 17:23, por: cdb

O prefeito Miguel Haddad anunciou nessa segunda-feira (12) a conclusão do novo Plano de Cargos, Salários e Vencimentos dos servidores da Prefeitura de Jundiaí. O Projeto de Lei já foi encaminhado para apreciação da Câmara Municipal e a expectativa é de que seja aprovado dentro de um mês, com vigência retroativa a 1º de março.

Anúncio foi feito na tarde dessa segunda pelo prefeito Miguel Haddad

Durante o anúncio, que contou com as presenças de secretários municipais, vereadores, representantes do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Jundiaí, da Associação dos Funcionários Públicos de Jundiaí e de funcionários, o prefeito destacou o grande passo que o plano representa para a categoria, com a correção de defasagem salarial que para algumas atividades pode atingir 53% de reajuste.

Miguel Haddad, Eleni e Umberto: anuncio deixou funcionários satisfeitos

“Foram meses de estudos, avaliações. Corrigimos distorções que ocorreram nos últimos anos e hoje apresentamos um plano que vai racionalizar a estrutura de cargos e salários. Mas, mais do que o realinhamento salarial, o plano de cargos devolve ao servidor municipal o estímulo e o interesse pelo trabalho. Foi uma grande conquista para os funcionários”, disse o prefeito, lembrando que outras questões, como promoção e bonificação vinculadas a resultados e adequações de carga horária para algumas atividades, também constam no novo documento.

De acordo com a presidente do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Jundiaí, Eleni Mossin Fávaro, foram meses de estudos e o resultado contempla cerca de 70% dos servidores, principalmente os atrelados aos serviços operacionais. “Nesta categoria, o reajuste chega a 53%”. Mas temos revisões significativas também na classe médica e na Educação”, enfatizou.

A elaboração do plano demandou meses de estudo. A Secretaria de Recursos Humanos promoveu o levantamento de dados e apuração de informações, como impacto financeiro, pesquisa de mercado, entre outros aspectos, para concluir o projeto. “Resgatamos questões históricas que prejudicavam o servidor. Procuramos dar a maior abrangência possível e valorizar o servidor que precisa estar preparado e ser motivado. Todo processo será complementado com a Escola de Governo, que vai atuar nesta linha”, disse o secretário de Recursos Humanos, Carlos Umberto Rossi.

O presidente da Câmara dos Vereadores, Júlio César de Oliveira, destacou que o projeto será analisado com celeridade pelo Legislativo. “Queremos dar um parecer para a categoria o quanto antes.”

Fotos: Murilo Borçal