Prefeito do PT é acusado de desviar e superfaturar verbas

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 22 de outubro de 2003 as 17:36, por: cdb

O senador Almeida Lima (PDT-SE) acusou o prefeito de Aracaju, Marcelo Déda (PT) de superfaturar serviços e desviar recursos da prefeitura a partir de agosto de 2002. Com uma exposição com transparências feita no plenário do Senado, Lima mostra documentos que envolveriam o desvio de R$ 462 mil pela prefeitura.

O senador afirma que Déda assinou convênio com a Empresa Municipal de Serviços Urbanos e a Secretaria Municipal de Saúde em agosto, no valor de R$ 770 mil. O objetivo do convênio seria a realização de poda, jardinagem e capinação em postos de saúde da capital.

Segundo Lima, além de os serviços terem valores muito acima do normal, R$ 50 mil para capinar uma área do Posto de Saúde Geraldo Magela que “é completamente calçada com paralelepípedos”.

Em setembro do ano passado, Déda teria pago R$ 48 mil por um outro serviço “que não foi executado”. O senador afirmou que já entregou a denúncia ao Tribunal de Contas do Estado que, segundo ele, até o momento não obteve resposta do prefeito.

A acusação foi repudiada pelo líder do PT no Senado, Tião Viana (AC) por considerar o assunto de âmbito municipal. “Desejaria que a acusação contra honra de quem quer que seja fosse feita no fórum adequado”.

Lima replicou que esperava do PT que desse explicações em nome do prefeito e não para reclamar da forma como a denúncia foi feita. “São recursos do Sistema Único de Saúde (SUS) e que envolvem cerca de R$ 500 mil, portanto não são questões apenas paroquial”.