Prefeito anuncia 600 vagas em creches na região do Uberaba

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sexta-feira, 9 de março de 2012 as 13:54, por: cdb

Em encontro com 150 gestantes atendidas pelo programa Mãe Curitibana, na tarde desta sexta-feira (9), o prefeito Luciano Ducci anunciou a entrega de três novas creches na região do Uberaba para o atendimento de 600 crianças. Os equipamentos, em construção pela Prefeitura, são os Centros Municipais de Educação Infantil Audi/União, Vila Camargo e Uberaba 2.

O prefeito fez o anúncio durante a abertura da oficina de gestantes fazem pré-natal nas unidades de atendimento dos distritos sanitários Cajuru e Boqueirão, no salão de eventos da paróquia São José, no encontro que contou com a presença de autoridades sanitárias locais e do vereador Jair Cézar. 

No encontro com as futuras mamães, o prefeito, que é médico de carreira da Secretaria Municipal da Saúde, relembrou a época em que trabalhou na Unidade de Saúde Trindade, na década de 80 e destacou os avanços de Curitiba nesta área. “Naquela época as mães não sabiam em que hospital iriam dar a luz. Conseguimos mudar esta realidade. O Mãe Curitiba é orgulho para todos nós e avança ainda mais. É um programa que dá segurança às mães e à família”, afirmou Luciano Ducci.

As atividades na regional Cajuru, fazem parte das comemorações dos 13 anos do Programa Mãe Curitibana, que nesta semana passou a contar com o teste cardíaco em recém nascidos. Em todas as regionais, as oficinas reuniram mais de 900 gestantes nos oito distritos sanitários de Curitiba.

 “Foi uma maneira de celebrarmos essa conquista tão importante para o sistema de saúde de Curitiba e que se tornou referência para o Brasil”, observou a secretária municipal da Saúde, Eliane Chomatas, referindo-se a iniciativas como a Rede Cegonha, o governo Federal, Mãe Coruja, do governo de Pernambuco, e Mãe Paulistana, da Prefeitura de São Paulo.

Mãe Curitibana – O programa foi criado por Luciano Ducci em 1999, quando ele tinha acabado de assumir o comando da Secretaria Municipal da Saúde de Curitiba. O trabalho pôs fim à peregrinação das mulheres pelos hospitais na hora do parto. 
Desde 8 de março de 1999, toda gestante que passa pelo Mãe Curitibana não apenas sabe onde terá o bebê, como também já visitou a maternidade antes do final de gestação.

Elas têm também o direito a mais de quinze exames de rotina, além de ecografias. Entre eles está o teste para detecção do vírus da AIDS, feito no começo do pré-natal e, para não deixar dúvidas, repetido já na maternidade, antes do parto.

Nas oficinas como a que aconteceram no Cajuru, as futuras mães têm a oportunidade de aprofundar as informações recebidas durante as consultas com médicos e enfermeiros. Desde o início do Mãe Curitibana, 210 mil mulheres passaram pelo programa
Carina Ferreira da Silva, que espera Luiz Eduardo no máximo para o começo de junho, é uma das gestantes que tem acompanhamento.

Ela está aproveitando as dicas dos encontros para ver se, desta vez, consegue ter parto normal. Em 2006, quando deu à luz Maria Eduarda, que a acompanhou na oficina com o seu bebê-boneca Maria Vitória, precisou recorrer à cesariana. “Estou confiante que vai dar tudo certo mais uma vez e, agora, sem cirurgia”, disse Carina, que frequenta as oficinas programadas pela Unidade Cajuru.