Prédio onde poderiam estar Saddan e filhos é destruído

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 8 de abril de 2003 as 06:00, por: cdb

Saddam Hussein e seus dois filhos foram alvo de um ataque aéreo norte-americano nesta segunda-feira, depois de o serviço de inteligência militar dos Estados Unidos ter apontado sua localização em Bagdá, segundo informação de uma autoridade em Washington.

Um avião militar norte-americano bombardeou um prédio no bairro residencial de Mansur, onde acreditava-se que estariam o líder iraquiano e seus dois filhos, Uday e Qusay, em reunião com outras autoridades do país.

Não houve confirmação de que Saddam ou seus filhos estejam mortos ou feridos, segundo disse um funcionário do governo, mas o prédio foi totalmente destruído e qualquer um que estivesse lá dentro não deve ter sobrevivido. “Virou um buraco no chão”, afirmou.

Segundo um porta-voz do Comando Central dos EUA no Catar, um bombardeiro B-1 despejou quatro bombas de 900 quilos sobre o prédio.

“Estamos confirmando que um alvo de liderança foi atingido muito duramente”, disse o major Brad Bartlett. “A avaliação dos danos da batalha está adiantada”.

Ele, no entanto, não quis comentar se o alvo era Saddam Hussein. De acordo com Bartlett, o ataque foi realizado no início da tarde de segunda-feira (horário local).

O destino de Saddam e de seus filhos tem sido objeto de intensas especulações desde que ataques foram feitos a locais onde acreditava-se que eles estivessem, logo no início da guerra, no dia 20 de março (horário local).

Se a morte do líder iraquiano e de seus filhos for confirmada, isso pode fazer com que a guerra termine mais rápido.

Durante a segunda-feira, forças blindadas americanas invadiram o centro da cidade e tomaram um dos palácios de Saddam.

SOLDADOS AMERICANOS ATACADOS

Durante a noite, soldados iraquianos que haviam sido espalhados pela capital por conta da investida americana aparentemente atacaram soldados americanos. Um correspondente da Reuters disse ter escutado disparos de metralhadora e várias explosões no palácio.

“Parecia que as forças iraquianas estavam atacando o complexo. Vi clarões”, disse o correspondente da Reuters Khaled Yacoub Oweis, localizado em um hotel do outro lado do rio Tigre.

“Parece que os iraquianos estão tentando atacar o palácio pelo lado oeste”, disse.

As forças norte-americanas pareceram responder com o que aparentemente era uma dúzia de foguetes disparados sucessivamente de dentro do enorme complexo em direção à parte nordeste da cidade.

Militares norte-americanos disseram que o ataque à região central de Bagdá com mais de cem tanques e veículos blindados foi uma demonstração de força, para mostrar que as soldados podem entrar na capital se quiserem.

Redes de televisão norte-americanas mostraram imagens de soldados americanos descansando dentro do palácio e imagens do interior suntuoso das construções.

Ao sul do Iraque, cerca de 700 soldados Britânicos entraram livremente no centro da segunda maior cidade do país, Basra, e foram calorosamente recebidos pelos moradores.

Nenhum tiro foi disparado contra os homens, mulheres e crianças que foram às ruas para cumprimentar os invasores. Outros pediram água aos soldados.

Soldados norte-americanos encontraram o que acharam que poderiam armas químicas em uma cidade no centro do país. Mas posteriormente, um oficial sugeriu que a substância poderia ter finalidade menos sinistra.

O general Benjamin Freakly, da 101ª Divisão Aerotransportada, disse, em entrevista à CNN, que testes preliminares realizados na cidade de Albu Mahawish indicaram que a substância poderia ser “algum tipo de pesticida”.