PPB gaúcho quer afastar Paulo Maluf

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 29 de agosto de 2001 as 20:45, por: cdb

A Juventude do PPB gaúcho remeteu nesta quarta-feira uma carta ao diretório nacional do partido pedindo o imediato afastamento do ex-prefeito Paulo Maluf da presidência da sigla. “O PPB não pode se acomodar e deixar que uma figura como Maluf acabe com a história de realizações e trabalho honesto do partido”, afirmou o presidente da juventude progressista, Jerônimo Goergen. Os pebebistas gaúchos nunca conviveram bem com a pecha de “malufistas” e constituem uma dissidência do partido, estando fora da direção nacional.

Na última convenção nacional, em abril, o presidente estadual do PPB, Celso Bernardi, disputou a presidência do partido contra Maluf, mas foi apoiado apenas por catarinenses, paraenses e cearenses, além dos gaúchos. “Hoje acho que aqueles que não quiseram votar em mim devem estar se questionando”, afirma Bernardi.

Na sua opinião, o partido deveria seguir o exemplo do PFL, que está projetando a governadora do Maranhão, Roseana Sarney. “O partido não pode continuar personalizado no Maluf, tinha de produzir sua imagem em cima da Ângela e do Amin, que são símbolos de competência administrativa”, diz, referindo-se à prefeita de Florianópolis, Ângela Amin, e ao seu marido, o governador Esperidião Amin.

Licenciado do cargo para disputar a prévia que escolherá o candidato a governador do partido, Bernardi sugere que Maluf livre o PPB “dessa tormenta” de ser associado a sucessivos escândalos. “Acho que ele podia pedir licença por iniciativa própria”, afirma, com descrédito nos líderes nacionais que nunca enfrentaram o ex-prefeito.

Segundo o gaúcho, apenas Jarbas Passarinho, Pratini de Moraes e Amin votaram nele na convenção nacional, enquanto Franscisco Dornelles, Delfim Neto e Odelmo Leão seguiram Maluf. “É inusitado que o presidente de um partido da base governista esteja sendo processado pelo presidente da República.”