Powell chega ao Paquistão e enfrenta ambiente hostil aos Estados Unidos

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado segunda-feira, 15 de outubro de 2001 as 11:39, por: cdb

O secretário de Estado, Colin Powell, chega nesta segunda-feira ao Paquistão para uma viagem diplomática em que vai discutir os constantes confrontos entre Índia e Paquistão e tentar conquistar novos aliados na coalizão antiterrorismo.

O Paquistão tem apoiado militantes islâmicos que querem o fim do domínio indiano na região predominantemente muçulmana da Caxemira. Um ataque terrorista da semana passada na região matou cerca de 40 pessoas.

O vice-ministro do Estado, Richard Armitage, disse nos últimos dias que Powell tentaria ver se existe uma maneira para “abaixar a temperatura” da área.

Depois de visitar o Paquistão e a Índia, Powell deve viajar à Xangai, na China, onde encontrará Bush na reunião dos ministros da Cooperação Econômica da Ásia e Pacífico.

As 21 nações que participarão do encontro pretendem encontrar um meio para lutar contra o terrorismo.

Protestos

Grupos islâmicos radicais do Paquistão convocaram um protesto geral para esta segunda-feira contra a visita do secretário de Estado norte-americano, Colin Powell.

A segurança foi reforçada pelo exército, policiais e tropas paramilitares desde domingo, forças mobilizadas para reprimir os protestos anti-Estados Unidos.

“Na atual conjuntura crítica, Colin Powell vem visitar o Paquistão para jogar sal nas feridas dos muçulmanos. A nação não vai tolerar seus passos profanos no solo do Paquistão”, informou um comunicado assinado por 11 grupos islâmicos do país.

“As pessoas devem fechar as lojas, escritórios e mercados em 15 de outubro e provar que os muçulmanos estão com os muçulmanos oprimidos do Afeganistão, ao invés de estar com os governantes paquistaneses; não permitiremos a realização de objetivos americanos e não hesitaremos em fazer sacrifícios para isso”, concluía o comunicado.