Postos de saúde são referência para atendimento, constata IBGE

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 31 de março de 2010 as 11:19, por: cdb

Os postos de saúde são as unidades de serviço médico mais procuradas pelos brasileiros. Num levantamento do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgado nesta quarta-feira, esses centros foram apontados como referência por 56,8% dos entrevistados, à frente de consultórios particulares (19,2%) e de ambulatórios de hospitais (12,2%).

Segundo a pesquisa, o posto é normalmente procurado por pessoas pertencentes às classes mais baixas. O estudo também revelou que 25,9% dos cerca de 180 milhões de brasileiros têm plano de saúde e que 77,2% dos que vão aos postos públicos recebem até um quarto do salário mínimo.

Além disso, 11,8% dos entrevistados recorreram a farmácias, ambulatórios de clínicas ou de empresas, pronto-socorros ou o agentes comunitários em busca de serviços de saúde.

De acordo com a pesquisa, 58,6% dos atendimentos foram realizados em instituições públicas. Dos  entrevistados, 86,4% julgaram o atendimento (na rede pública e privada) como bom ou muito bom. E entre as pessoas que informaram não terem sido atendidas na primeira vez, 3,8% alegaram que não havia vagas ou  médicos (36,4%) disponíveis.

O presidente do Conselho Nacional de Saúde, Francisco Batista Júnior, avalia que embora o Sistema Único de Saúde (SUS) apresente milhares de problemas, presta serviço indispensável.

– Apesar da constante desqualificação do SUS, sem negar as dificuldades e equívocos de gestão, a população tem acesso a serviços de mais alta relevância, reconhecido internacionalmente.

Com base em dados coletados em 2008, a pesquisa também mostra que 67,7% da população fez consultas médicas nos 12 meses anteriores ao levantamento – o percentual de homens que foram ao médico (58,8%) era inferior ao de mulheres (76,1%) e 40,2% foi ao dentista no período.

Embora 88,3% dos brasileiros tenham ido ao dentista uma vez na vida, fizeram isso há menos de um ano da entrevista, sendo que 11,7% da população nunca estiveram num consultório ortodôntico.

O levantamento também chama a atenção para o fato de 77,9% de crianças entre até 4 anos nunca terem ido a um consultório odontológico.