Política fiscal não substitui ação monetária no curto prazo

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado segunda-feira, 27 de setembro de 2004 as 15:57, por: cdb

A política fiscal não substitui a atuação da política monetária embora as duas sejam essenciais para que o Brasil continue a crescer e a taxas cada vez maiores.

O comentário é do presidente do Banco Central, Henrique Meirelles, que afirmou nesta segunda-feira que o aumento do superávit primário com a consequente redução da relação entre dívida e Produto Interno Bruto (PIB) tem efeito de reduzir o risco e o juro “no médio prazo”.

“Ambas são muito importantes, mas são ações que têm mecanismos diferentes e defasagens diferentes… a política monetária age a prazos mais curtos e tem um tipo de flexibilidade maior. Uma não é substitutiva da outra”, disse Meirelles durante a posse da Associação Brasileira de Bancos (ABBC).

Ele aproveitou para dar um recado aos empresários, defendendo que o recente aumento do juro básico pelo banco central serve para garantir a sustentação do crescimento.

“O recado é claro no sentido de que o Brasil está crescendo a taxas fortes e, portanto, os empresários que querem manter sua fatia de mercado têm que investir”, afirmou Meirelles.