Polícia trabalha com novo suspeito no caso Luciana

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado segunda-feira, 26 de maio de 2003 as 08:38, por: cdb

Os peritos contratados para resgatar as imagens nas fitas que contêm as cenas do momento em que a estudante de enfermagem Luciana Novaes foi atingida, na Universidade Estácio de Sá, trabalham com uma nova suspeita no caso. O principal suspeito agora é um rapaz com uma mochila nas costas que aparece no fundo do corredor em que a estudante estava.

Segundo imagens e informações mostradas pelo programa Fantástico, da TV Globo, a polícia considera que o rapaz faz movimentos suspeitos bem em frente à Luciana Novaes, que levou um tiro no rosto no dia 5 de maio.

Nas imagens, o suspeito aparece balançando os braços e aparentemente aponta uma arma para Luciana. A dúvida da polícia é quem seria o alvo do atirador. Na mesma imagem, uma outra estudante que estava mais à frente ameaça se levantar para correr e quando vê o rapaz, recua e abaixa. É neste momento, segundo a polícia, que Luciana teria sido atingida.

Duas pessoas já foram indiciadas no inquérito que investiga o incidente. O policial civil Marcos Ripper, consultor de segurança da Universidade, foi indiciado por prevaricação. Já o diretor da empresa de segurança que monitora por câmeras o movimento na instituição, Carlos Luís Duarte, foi indiciado por fraude processual.

Ripper é acusado de ter entregue as fitas com as imagens do incidente quatro dias depois do fato. Duarte é suspeito de ter participado da adulteração das imagens, que não mostram o momento no qual Luciana foi baleada.