Polícia recebe denúncias sobre ataque a micro-ônibus na Cidade de Deus

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sexta-feira, 5 de março de 2010 as 13:08, por: cdb
Atualizado em 14/11/16 20:24

A Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) da Cidade de Deus recebeu mais de cem ligações com denúncias sobre os autores do ataque ao micro-ônibus que deixou 13 pessoas feridas . Segundo o comandante da UPP, capitão Sidnei Pazini, a barbárie provocou indignação e abriu de vez uma fenda nas relações entre moradores e traficantes que ainda vivem no local. No atentado ao veículo da linha 701 (Alvorada-Madureira), 13 passageiros ficaram feridos.

– A maioria das ligações falava sobre os mesmos suspeitos, o que mostra que a comunidade não tolera mais a violência. Diariamente, costumávamos receber cerca de dez ligações denunciando a presença de tráfico. Após o ataque, o volume de telefonemas cresceu muito. Foram mais de cem ligações – contou o comandante.

A polícia tem a identificação de cinco suspeitos do ataque ao micro-ônibus. Fazem parte do grupo, segundo o delegado titular da 32º DP (Taquara), João Luiz Garcia, duas mulheres e David Gomes da Silva, de 23 anos. A polícia divulgou na quinta-feira os retratos falados de dois dos investigados. Ainda na quinta-feira, chegaram à polícia informações de que David – suspeito de ter ateado fogo ao ônibus – e um comparsa teriam sido mortos no Morro da Chatuba, na Penha, para onde teriam fugido. As mortes não foram confirmadas.

Todos os suspeitos levantados até o momento moram perto da Travessa Gideon e da localidade Quinze, onde o traficante Leandro de Oliveira da Silva – pivô da ação – foi preso na noite de terça-feira. Na próxima semana, o delegado deve pedir a prisão dos envolvidos. Mais de 30 pessoas teriam participado do ataque. A polícia ainda tenta conseguir imagens de câmeras de lojas no local.

Com a boca machucada e o braço enfaixado, a estudante Anne Andrade de Lima, de 18 anos, prestou depoimento na quinta-feira. Ela estava no ônibus queimado. Seu namorado, Gabriel de Lima Andrade, continua internado no Marcílio Dias. Mãe de Anne, Rosângela Andrade está revoltada.

Com 48% do corpo queimado, Laís Rodrigues, de 21 anos, continua no Hospital Souza Aguiar, onde também está internada Paula Núbia Rodrigues, de 23, que teve 25% do corpo queimado. Internada no Cardiotrauma, Ana Sheila de Souza, que teve 40% do corpo queimado, também está em estado grave, assim como Nara Martins, de 27, internada no Hospital Lourenço Jorge com 27% do corpo queimado; e Antônio Godoy, de 58 anos, internado no Hospital do Andaraí. Rosângela Silva, de 44, recebeu alta do Hospital Central da Polícia Militar (HCPM). Cristiane Maciel foi transferida da emergência para um dos quartos do HCPM.