Polícia prende líderes de grupo neonazista na Alemanha

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 6 de maio de 2015 as 10:32, por: cdb
Investigadores realizaram buscas em residências por todo o país numa investida contra organização "Old School Society"
Investigadores realizaram buscas em residências por todo o país numa investida contra organização “Old School Society”

 

Cerca de 250 investigadores realizaram uma série de buscas em residências da Alemanha, numa investida coordenada pelo Departamento Federal de Investigações (BKA) contra o grupo de extrema direita “Old School Society” (OSS), informaram promotores federais em comunicado emitido nesta quarta-feira.

Ao mesmo tempo, forças da unidade especial GSG 9 prenderam três homens e uma mulher que supostamente faziam parte da liderança da OSS. Os quatro detidos são acusados de fundar o grupo e adquirir explosivos. De acordo com a revista Der Spiegel, a “Old School Society” foi fundada em novembro do ano passado.

Segundo a publicação, as autoridades alemãs investigam a OSS devido à suspeita de formação de “organização terrorista”. Promotores afirmam que o grupo estaria planejando atentados contra abrigos de requerentes de asilo, mesquitas e membros da cena salafista na Alemanha.

A revista aponta que, possivelmente, um primeiro ato de violento seria realizado em breve, enquanto os promotores disseram ainda estar tentando determinar se o grupo tinha planos concretos de ataque.

– As investigações mostram que o objetivo do grupo era realizar ataques na Alemanha em pequenos grupos contra salafistas conhecidos, mesquitas e requerentes de asilo que estão em abrigos – disse a procuradoria pública alemã em um comunicado.

– Para esse fim, pelo que sabemos até agora, quatro pessoas detidas obtiveram explosivos para possíveis ataques terroristas do grupo – diz o texto da procuradoria, acrescentando que ainda não está claro se eles “já tinham alvos ou datas específicas em mente”.

As autoridades identificaram os quatro, todos eles cidadãos alemães, como sendo Andreas H., 56 anos, que era o “presidente” do grupo, o “vice-presidente” Markus W., 39 anos, Denise Vanessa G., de 22 anos, e Olaf O., de 47 anos. A Alemanha só identifica os suspeitos pelos primeiros nomes e iniciais.

Em 2011, a Alemanha ficou chocada com as revelações de que uma pequena célula de direita havia assassinado nove imigrantes e uma policial, além de promover atentados e assaltos a bancos.