Polícia Pacificadora terá instalações pagas pela iniciativa privada

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 23 de fevereiro de 2010 as 11:29, por: cdb

As sedes das Unidades de Polícia Pacificadora (UPPs) da Cidade de Deus, do Pavão-Pavãozinho e da Ladeira dos Tabajaras serão construídas pela iniciativa privada e custarão em torno de R$ 5,5 milhões. Segundo o secretário de Segurança, José Mariano Beltrame, a documentação precária dos terrenos situados em favelas e a demora nos processos de licitação são fatores que dificultam a instalação dessas sedes.

A proposta de financiar a construção das unidades surgiu de conversas informais entre empresários e Beltrame. Eles perguntaram de que forma poderiam contribuir com o projeto das UPPs e o secretário sugeriu a parceria na compra dos terrenos e na construção das sedes das pacificadoras.

De acordo com pesquisa do Instituto Brasileiro de Pesquisa Social (IBPS), nas favelas que ainda não têm UPPs, 70% das pessoas se mostraram favoráveis à implantação do projeto. Entre os entrevistados que já têm as unidades em suas comunidades, 93% aprovam as UPPs e 68% temem a volta do tráfico caso elas saiam da favela.

Entre os dias 21 e 25 do mês passado, o IBPS ouviu 1.200 pessoas, sendo metade em comunidades com UPPs e a outra parte em favelas sem as pacificadoras. Sobre o medo dos moradores do retorno dos traficantes às áreas pacificadas, o secretário disse que a participação da iniciativa privada será importante para mostrar que o projeto não é da polícia, mas da sociedade.

A UPP da Cidade de Deus ficará por conta da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) e custará entre R$ 1,5 milhão e R$ 1,8 milhão. Desde fevereiro do ano passado, a unidade funciona precariamente na casa de um policial militar que havia sido expulso da favela por traficantes. A secretaria de Segurança paga um aluguel ao proprietário.

Já as obras da UPP do Pavão-Pavãozinho, de acordo com a Secretaria de Obras, custarão em torno de R$ 2,5 milhões. A unidade será construída num prédio residencial no alto do morro. A Secretaria de Obras já cuida da remoção de 28 famílias que têm a opção de serem indenizadas ou ganharem um apartamento novo construído pelo PAC na comunidade. O edital de construção do prédio será lançado até 15 de março, e as obras começam no mês seguinte, com prazo previsto de quatro meses. Os custos do prédio da UPP dos Tabajaras giram em torno de R$ 1,5 milhão.