Polícia mata sete ao reprimir protesto no Afeganistão

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado segunda-feira, 28 de maio de 2007 as 18:29, por: cdb

A polícia do Afeganistão matou a tiros pelo menos sete manifestantes em Shiberghan, capital da província de Jowzjan, ao norte do país. Segundo testemunhas, os manifestantes mortos eram partidários do general Rashid Dostum, um polêmico líder uzbeque da região.

Os manifestantes exigiam a renúncia do governador da província. Soldados liderados pela Otan foram enviados à cidade.

Outros episódios de violência também foram registrados em outras partes do país e teriam causado a morte de pelo menos 30 pessoas.

Em Shiberghan, cerca de mil partidários do general Dostum participaram do protesto em frente ao gabinete do governo regional. De acordo com autoridades locais, eles estariam atirando pedras contra o prédio.

O general Dostum e o governador da província, Kham Hamdard, costumavam ser aliados. Mas os dois se transformaram recentemente em adversários depois que as diferenças políticas entre eles se intensificaram.

Além dos sete mortos, cerca de 30 manifestantes ficaram feridos. Pelo menos dez estariam em estado grave. O general Dostum é uma das figuras mais polêmicas da política afegã.

Na década de 80, Dostum apoiou as forças invasoras da União Soviética contra os mujahedins rebeldes. Ele também teve um papel importante na guerra civil que destruiu grande parte da capital, Cabul, e deixou milhares de mortos.

Em 2001, enquanto ajudava dos Estados Unidos, suas milícias foram acusadas de sufocar centenas de prisioneiros do Talebã até a morte, trancando-os em contêineres.

No sul do país, forças lideradas pelos Estados Unidos afirmaram que 36 militantes do Talebã foram mortos depois de uma emboscada contra um comboio de soldados da coalizão e policiais afegãos na província de Helmand.

De acordo com moradores da região, no entanto, mais de 20 civis, incluindo mulheres e crianças, estavam entre os mortos. As autoridades americanas dizem que não há registros de civis mortos.

As forças americanas afirmam que o comboio atingiu duas bombas no acostamento e então foi atacado por foguetes e tiros disparados por insurgentes. A coalizão teria reagido com ataques aéreos contra os militantes.

Na província de Paktika, no sudeste do país, militantes do Talebã teriam matado seis policiais em um ataque contra o comboio em que viajavam.

Um porta-voz do governador disse que os militantes detonaram várias bombas no momento em que o comboio passava e, depois, atiraram.

Outros dois ataques suicidas do Talebã, um na província de Kunduz, ao norte, e outro em Kunar, no sudeste, também teria deixado civis mortos.