Polícia investiga se morte de aluno da UFRJ tem relação com homofobia

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado segunda-feira, 4 de julho de 2016 as 13:42, por: cdb

O Diretório Central dos Estudantes (DCE) da UFRJ organizou um protesto nesta manhã na Reitoria da Universidade

Por Redação, com ABr – do Rio de Janeiro:

 

A Delegacia de Homicídios está investigando a morte do estudante da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) Diego Vieira Machado, cujo corpo foi encontrado na tarde do último sábado no campus da Ilha do Fundão. O Programa Rio Sem Homofobia, do governo Fluminense, repassou à polícia a informação de que tanto Diego quanto outros estudantes gays e negros vinham recebendo ameaças.

Representantes do programa de combate à homofobia devem se reunir nesta segunda-feira com policiais na Delegacia de Homicídios. Pelo Facebook, o deputado federal Jean Wyllys (PSOL-RJ) disse que há fortes suspeitas de que o crime tenha sido “motivado ou potencializado” por homofobia.

A Delegacia de Homicídios está investigando a morte do estudante da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) Diego Vieira Machado
A Delegacia de Homicídios está investigando a morte do estudante da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) Diego Vieira Machado

– Além do detalhe marcante de ter sido encontrado sem a calça, que indica que o crime tinha mais do que a motivação ocasional, estudantes no alojamento denunciaram nos últimos dias o recebimento de emails com ameaças contra alunos LGBTs e negros. A mensagem dizia claramente ‘sabemos quem são vocês’ e ‘queremos vocês fora daqui’ – escreveu Wyllys.

O Diretório Central dos Estudantes (DCE) da UFRJ organizou um protesto nesta manhã na Reitoria da Universidade. A Polícia Civil fez uma perícia no domingo no local onde o corpo foi encontrado e deve começar a colher depoimentos.

Até o final da manhã desta segunda, o corpo de Diego Vieira continuava no Instituto Médico Legal (IML), aguardando a chegada de parentes para sua liberação. O estudante deve ser sepultado no Pará, Estado onde nasceu.

De acordo com informações postadas nas redes sociais pelo Diretório Central dos Estudantes da UFRJ Mário Prata, Diego era negro, gay, natural do Pará e foi encontrado com sinais de espancamento.

– É um momento muito duro para todos e todas estudantes da UFRJ. Um de nós se foi. Não podemos deixar de denunciar a falta de segurança, a situação de vulnerabilidade e violações de direitos que os moradores do alojamento estão submetidos diariamente. Precisamos de mais segurança! Segurança para podermos circular no campus sem o medo de ter não apenas nossos pertences furtados, mas nossos corpos e vidas violentadas.

A reitoria da UFRJ divulgou nota de pesar. “A Reitoria se junta aos amigos e familiares do estudante neste momento de dor, e informa que acompanhará de perto as investigações sobre o caso junto às autoridades policiais. A família de Diego, residente no Pará, foi informada pela Reitoria sobre seu falecimento no sábado.