Polícia divulga retrato falado dos suspeitos de sequestrar empresário na Regiao Metropolina

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado segunda-feira, 14 de janeiro de 2013 as 11:22, por: cdb
A polícia divulgou o retrato falado dos suspeitos de sequestrar empresário no Rio
A polícia divulgou o retrato falado dos suspeitos de sequestrar empresário no Rio

A polícia divulgou o retrato falado dos suspeitos de levarem o empresário Itamar da Silva Júnior, de 36 anos, em Itaboraí, na Região Metropolitana do Rio de Janeiro, depois de um assalto na última sexta-feira.  No fim de semana, testemunhas reconheceram dois homens em imagens de câmeras de segurança.

Segundo informações do portal G1, a polícia investiga se Itamar teria sido alvo de um acerto de contas. O delegado responsável pelas investigações, Pablo Valentim, da 71 ª DP (Itaboraí), informou que a ação foi planejada, e não tem características de sequestro. A vítima é dono de uma casa de samba no Gragoatá, em Niterói.

– Ainda não descartamos nenhuma hipótese, mas dificilmente pode ter sido sequestro, porque até agora ninguém ligou para a família exigindo pagamento de resgate. Estamos investigando se o crime foi motivado por questão financeira ou passional. No entanto, a família diz que ele (Itamar) era querido por todos, e que nunca relatou sofrer ameaças – explica o delegado.

Segundo o irmão da vítima, Roni Adriano da Silva, o empresário não tinha inimigos. “Não recebia ameaças, nós fomos criados em Itaboraí. Todos o conhecem, todo mundo gosta dele”, contou. “É uma pessoa muito querida.”

De acordo com o portal G1, as investigações apontam para a participação de quatro pessoas no crime. Segundo o delegado, testemunhas relataram que Itamar foi levado por dois homens, que vestiam uniforme de uma companhia telefônica. A abordagem foi feita quando o empresário cobrava o aluguel de um inquilino de um restaurante no Centro de Itaboraí, na tarde de sexta-feira.

Em depoimento à polícia, o inquilino disse que os dois criminosos se passaram por clientes, e em seguida renderam ele, sua mãe, e Itamar. Os homens levaram R$ 3.200, celulares, além do carro de um funcionário do restaurante. Após o assalto, a dupla exigiu que o empresário fosse com eles até a saída de Itaboraí. Desde então, parentes e amigos de Itamar não receberam mais notícias de seu paradeiro.

Antes do assalto, Itamar e alguns amigos almoçaram em um restaurante no Centro de Itaboraí. O delegado informou que imagens de câmeras de segurança do estabelecimento mostram dois homens suspeitos, usando óculos escuros e boné, no caixa do estabelecimento. Um terceiro homem aparece nas imagens, correndo na frente do restaurante, assim que o empresário deixa o local.

Pablo Valentim explica que as descrições repassadas pelas testemunhas sobre os criminosos são semelhantes às dos homens que aparecem nas imagens. “Neste dia, estava nublado e chovendo. Os homens usavam óculos grandes e bonés, como um disfarce. Eles perguntam à funcionária do caixa, se o restaurante aceitava um determinado tíquete-alimentação, ela diz que sim, mas mesmo assim eles saem. Em seguida, quando o Itamar está saindo, passa esse homem correndo. Tudo nos leva a crer que eles pretendiam abordá-lo ali mesmo, mas resolveram segui-lo, para abordá-lo em um outro local mais deserto. O quarto suspeito provavelmente estava dentro de algum carro dando cobertura”, argumentou o delegado.