Polícia descobre plano para executar diretor da Polinter

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 26 de dezembro de 2007 as 21:59, por: cdb

Um plano para executar o delegado Herald Espíndola, diretor da Polinter, teria antecipado a segunda fase da operação da Polícia Civil em Campo Grande, na Zona Oeste do Rio, realizada nesta quarta-feira, que resultou na prisão do vereador Jerônimo Guimarães Filho, o Jerominho. O vereador, preso por suspeita de formação de quadrilha, é acusado de chefiar grupo de milícias na Zona Oeste – paramilitares que cobram por suposta insegurança.

Equipes do Setor de Inteligência descobriram que integrantes do grupo ligado a Jerominho e seu irmão, o deputado estadual Natalino José Guimarães, também acusado de participar da quadrilha, teriam se reunido para discutir o assassinato do policial. Depois de Josinaldo Francisco da Cruz, o Nadinho de Rio das Pedras, Jerominho é o segundo vereador a ser preso por envolvimento com milícias.

Em um de seus discursos na Assembléia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj), Natalino critica o delegado por manter o policial André Luiz da Silva Malvar preso na carceragem da Polinter no Grajaú com criminosos “comuns”. Malvar, genro de Jerominho, é acusado de ter participado do atentado ao sargento da PM Francisco Oliveira, o Chico Bala, em agosto na Região dos Lagos.