Polícia desaloja 1,5 mil desabrigados de igreja sul-africana

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quinta-feira, 31 de janeiro de 2008 as 11:07, por: cdb

A polícia da África do Sul invadiu a Igreja Metodista central de Johanesburgo, durante a madrugada, e prendeu 1,5 mil mendigos e zimbabuanos que estavam abrigados no local. Dezenas de policiais, alguns fortemente armados, invadiram o complexo da igreja, prenderam os refugiados e os levaram para a prisão. A polícia afirma que estava procurando drogas, armas e imigrantes ilegais, mas o bispo da igreja, Paul Verryn, descreveu a ação como uma violação ao santuário da igreja.

– Acho que (a ação) é desprezível – disse ele.

A ação policial começou no final da noite desta quarta-feira (horário local) e foi a primeira que teve como alvo a igreja metodista, que é amplamente respeitada como abrigo para algumas das pessoas mais desesperadas da cidade. Até recentemente, as autoridades tinham uma atitude relativamente tolerante com os centenas de milhares de refugiados que fogem da crise política e econômica do Zimbábue, diz um observador da cena social no país. Mas com a própria economia começando a sentir o peso desses refugiados, o governo começou a endurecer essa atitude.

Estima-se que três milhões de zimbabuanos estejam morando na África do Sul. O bispo Verryn afirmou que a maneira como a polícia lidou com os detidos durante a ação na igreja foi uma clara violação de seus direitos.

– Até agora, não vi nenhuma notícia de que foram encontradas armas no local – disse o bispo ao programa World Today, da rede inglesa de televisão BBC.

O bispo defendeu que a igreja deveria oferecer abrigo para aqueles que podem não ter o direito de permanecer na África do Sul. Além dos 1.200 mendigos e refugiados do Zimbábue que normalmente dormiam dentro da igreja, havia outras 500 pessoas no pátio. Alguns dos detidos, cujos documentos estavam em ordem, já retornaram à igreja.