Polícia Civil vê crime comum em assassinato em Eldorado dos Carajás

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sexta-feira, 3 de junho de 2011 as 15:55, por: cdb

Polícia Civil vê crime comum em assassinato em Eldorado dos Carajás

Por: Redação da Rede Brasil Atual

Publicado em 03/06/2011, 18:30

Última atualização às 18:34

Tweet

São Paulo – A quinta morte de agricultor na região amazônica em duas semanas pode ter sido crime comum. Segundo o superintendente regional da Polícia Civil do Pará, delegado Alberto Teixeira, a morte de Marcos Gomes da Silva em Eldorado dos Carajás não tem relação com conflitos agrários no estado.

A Comissão Pastoral da Terra (CPT) considera precipitado descartar a possibilidade. Uma equipe da organização acompanha as investigações na região. Antes de Gomes da Silva, pelo menos três homicídios tinham relação com denúncias contra madeireiras por desmatamento irregular.

O agricultor, de 33 anos, foi baleado duas vezes na quarta-feira (1º). Segundo uma testemunha, o carro foi interceptado por dois homens armados no momento em que transportava Marcos, já baleado, para o hospital. Os homens teriam exigido que o lavrador fosse retirado do veículo e que os outros ocupantes corressem na direção oposta. O motorista do carro obedeceu e o lavrador acabou sendo morto, no local.

Teixeira ouviu o presidente da Federação dos Trabalhadores na Agricultura (Fetagri) do Estado, Dejesus Martins Araújo, e a esposa da vítima, Maria Francisca Silva César. Segundo o delegado, o agricultor era ligado a movimentos sociais. Até o fim do dia, novos depoimentos serão tomados.

Com informações da Agência Brasil

Leia também:
Palco da chacina de 1996, Eldorado dos Carajás tem mais um trabalhador rural assassinado
Sobrevivente de Corumbiara escreve homenagem ao pai, camponês morto em RondôniaPara procurador, Brasil não tem estrutura suficiente para proteger ameaçados de morte em conflitos agrários Acusado de assassinar sobrevivente do massacre de Corumbiara, em Rondônia, era foragido da JustiçaNo mesmo assentamento onde casal de ambientalistas foi assassinado no Pará, agricultor é encontrado mortoAos 15 anos, massacre de Carajás segue símbolo de lentidão da Justiça