Polêmica entre técnicos paulista tem novo capítulo

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 26 de fevereiro de 2008 as 13:10, por: cdb

As críticas de uma das torcidas uniformizadas do Santos contra o trabalho do técnico Emerson Leão serviram para acirrar a rixa entre o treinador alvinegro e Vanderlei Luxemburgo, ex-comandante santista e atualmente técnico do Palmeiras. Leão chama os descontentes de “turma do carnaval” e afirma que eles são pagos para criticá-lo.

Em comunicado Luxemburgo admite que ajudou a escola de samba da uniformizada alvinegra, mas que isso não quer dizer que ele estaria tentando interferir no trabalho do treinador santista, a quem, aliás, elogia. Um dos membros da organizada afirma que a escola de samba recebeu ajuda de Luxa, mas que o treinador apenas comprou materiais para carros alegóricos.

Para tentar cessar a polêmica, o presidente do Santos, Marcelo Teixeira, se reuniu com membros da facção. Teixeira ouviu a garantia de que as críticas contra Leão irão parar já a partir da próxima partida. A assessoria de imprensa de Luxemburgo afirma que o treinador palmeirense não irá mais se pronunciar sobre o assunto.

Em seu comunicado, Luxemburgo pede “Me esqueçam”:

– Quero reafirmar meu orgulho em ter dirigido e conquistado títulos com o clube, mas hoje meu pensamento está totalmente voltado para o Palmeiras. Ao longo de minha vida, tenho ajudado muitas instituições e muitas pessoas. Ajudei as escolas de samba da Torcida Jovem do Santos e da Sangue Santista e ajudei a Gaviões da Fiel a ir ao Mineirão em um jogo decisivo do Corinthians contra o Cruzeiro, assim como ajudei outras escolas de samba, além de muitas creches e hospitais. O Santos tem um treinador competente, que certamente dará um bom caminho para a equipe, que é exatamente o que também estou buscando para o Palmeiras. Jamais em minha carreira necessitei de artifício para que elas fossem realizadas. Por isso, o que desejo neste momento é paz e que, por favor, me esqueçam, concluiu.