‘Poderia ter sido pior’, diz Parreira

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quinta-feira, 20 de novembro de 2003 as 02:43, por: cdb

O técnico da Seleção Brasileira, Carlos Alberto Parreira, estava aliviado depois do empate de 3 a 3 com o Uruguai, na última quarta-feira. Por muito pouco ele não voltou a fazer história, de forma negativa, no futebol brasileiro. Em 1993, ele dirigia o time que perdeu pela primeira vez no torneio (2 a 0 para a Bolívia, em La Paz). Agora, escapou por pouco de ser o primeiro a sofrer um revés em casa.

– Poderia ter sido pior. Explicar uma derrota num jogo desses seria incrível – disse.

O técnico lamentou a queda de rendimento da Seleção na etapa final, mas disse que em condições normais, um empate contra o Uruguai não pode ser considerado o fim do mundo.
 
– Foi uma partida diferenciada: depois do primeiro tempo, o time se desconcentrou e não teve o mesmo vigor físico – afirmou o treinador, que fez a mesma crítica a Renato, escalado por ele no lugar de Emerson.

– Ele sentiu o ritmo da partida na etapa final – disse.

Parreira disse que, apesar do resultado, enxergou coisas positivas na equipe. Elogiou o sistema de marcação, apesar de a equipe ter tomado gols em falhas dos defensores.

– O sistema defensivo, de forma geral, funcionou. Os gols deles saíram por pura sorte. Estávamos com o jogo na mão – afirmou Parreira.