Pneumonia atípica afeta viagens aéreas na China

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado segunda-feira, 12 de maio de 2003 as 05:07, por: cdb

A indústria aérea chinesa e o mundo esportivo são dois dos setores mais afetados pela epidemia da Síndrome Respiratória Aguda Severa (Sars, sigla em inglês).

De acordo com o jornal China Daily, as companhias aéreas chinesas foram as primeiras a notar a influência negativa em seus negócios, à medida que o Governo central foi aplicando as medidas de segurança nos aeroportos.

Desde o mês passado, continua o jornal, os aviões chineses registraram um número muito baixo de viajantes e, por isso, muitas linhas foram canceladas ou suspensas indefinidamente.

– Mais de 70% dos assentos de nossos aviões estão vazios, enquanto que a metade dos vôos para a Europa, Japão e Sudeste Asiático foi cancelada – declarou Zhang Ming, porta-voz da companhia aérea China Eastern.

Já o mundo esportivo sofreu o cancelamento de todos os jogos e competições, nacionais e internacionais, por medo do contágio de Sars.

A Fifa, por exemplo, decidiu transferir para uma nova sede, possivelmente na Europa, a celebração do Mundial Feminino de Futebol que aconteceria na China entre 23 de setembro e 11 de outubro próximos.

Por outro lado, a Federação Mundial de Voleibol pediu à equipe chinesa para se retirar da Liga Mundial, enquanto que outros eventos similares fogem da China por medo da pneumonia atípica, destacou a imprensa local.

– Devido aos cancelamentos esportivos, nossos atletas não têm nenhum objetivo definido, nem a curto, nem a longo prazo – lamentou Wen Wen, porta-voz da Administração Geral Estatal Esportiva da China.

Até agora, 240 pessoas morreram na China por causa da doença, mais de cinco mil foram infectadas e outras 23 mil permanecem em quarentena, ou seja, quatro mil a mais do que nas últimas 24 horas.