PMs mortos em combate ao crime no Rio equivalem a um batalhão

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sexta-feira, 27 de dezembro de 2002 as 00:41, por: cdb

O número de policiais mortos em combate ao ano, no Rio, corresponde ao efetivo de um batalhão da Polícia Militar. A revelação foi feita hoje pela coordenadora de Segurança e Justiça do Estado, Jaqueline Muniz, ao apresentar um CD-ROM contendo pesquisa detalhada sobre incidências criminais nos últimos dez anos.

Segundo a coordenadora, a pesquisa, inédita no Estado e elaborada pelo Núcleo de Pesquisas e Análises Criminais, aponta o aumento dos casos de autos de resistência no Rio, e a apreensão de 12 mil armas nos últimos meses, sem incluir granadas.

Jaqueline Muniz explicou que quando “há um volume de grande apreensão de armas pesadas, como metralhadoras e fuzis, o seu campo de efeito se amplia. O confronto entre bandidos e a polícia tem ocorrido com mais frequência, mas o estado tem feito um grande esforço para a redução desses embates, primeiramente, qualificando a polícia através de cursos”.

A coordenadora de Segurança e Justiça disse também que o objetivo é reduzir o risco de balas perdidas e o resultado dos autos de resistência. Mas lembra que quem está do outro lado está sempre com uma arma pesada ou granada.

“É evidente que a ação dirigida para o enfrentamento ao crime organizado tende a gerar esse tipo de situação, que deve ser objeto constante de monitoramento e de esforço para reduzir esse quadro” analisou.