PME’s portuguesas pagam juros mais altos que as gregas

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sábado, 10 de março de 2012 as 06:36, por: cdb

A banca portuguesa é a que cobra juros mais altos na zona euro para emprestar até 250 mil euros a Pequenas e Médias Empresas. Mesmo a Grécia, em risco de bancarrota, pratica juros mais baixos para apoiar a economia.Artigo |10 Março, 2012 – 13:28Com o juro que os bancos portugueses cobram, a única saída para muitos pequenos empresários é abandonar a atividade. Foto Paulete Matos

Os números do Banco Central Europeu citados pelo semanário Expresso dizem que em janeiro a taxa de juro média para novos empréstimos até 250 mil euros foi de 8,11%, contra 7,94% na Grécia, 5,9% na Irlanda e 5,33% em Espanha. Para a banca portuguesa, estes empréstimos representam cerca de um terço dos financiamentos a empresas não financeiras.

Se o empréstimo for maior (até 1 milhão de euros), verifica-se que os bancos portugueses continuam a praticar taxas superiores aos gregos, perdendo a liderança do crédito mais caro na zona euro apenas para o Chipre.

Recorde-se que os bancos têm tido acesso a injeções de liquidez do Banco Central Europeu, que nos últimos meses emprestaram um bilião de euros à taxa de 1%. Mas em vez de porem o dinheiro a circular na economia, verifica-se que o juro cobrado é oito vezes superior ao que o banco terá de pagar.

O facto de os bancos portugueses terem recebido nos últimos anos generosas ajudas dos governos com dinheiro dos contribuintes e continuarem a praticar taxas três pontos acima das praticadas pela banca espanhola põe naturalmente em risco o crescimento da economia, com as pequenas empresas a queixarem-se sobretudo da falta de crédito como entrave à sua atividade, mais do que as leis laborais ou os custos com o trabalho.

Mas não são só as empresas que são vítimas dos juros altos. Também os consumidores portugueses que utilizam cartões de crédito sabem por experiência própria que são os que mais juros pagam na Europa, com a taxa de 22,95%, sendo mesmo a única banca europeia a cobrar juros acima dos 20%. Já os empresários em nome individual pagam juro acima das PME, com uma taxa média de 8,56%, segundo dados do Banco de Portugal.