PM se mata em frete às câmeras de TV em SP

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sexta-feira, 11 de abril de 2003 as 10:20, por: cdb

Na tarde desta quinta-feira, um soldado da Polícia Militar se suicidou com um tiro na cabeça próximo ao portão do Palácio dos Bandeirantes, sede do governo de São Paulo. Reinaldo Antônio Domingues disse, minutos antes do tiro, que não suportava mais trabalhar com policiais corruptos. Câmeras de emissoras de TV filmaram todo o ocorrido.

Segundo o comandante da PM, Alberto Silveira Rodrigues, Domingues estava na corporação havia cinco anos e tinha procurado atendimento psicológico no segundo ano de serviço. Em 2000 e 2002, ele precisou voltar ao psicólogo, por isso, Domingues só trabalhava durante o dia.

Antes de morrer, o PM afirmou que era perseguido pelos colegas e não tinha nenhum problema familiar. Antes do disparo, outros policiais que estavam no local tentaram impedir Domingues, mas não conseguiram.

O policial chegou a ser levado para o Hospital Albert Einstein, mas não resistiu e morreu. Segundo reportagem do Jornal da Tarde, as razões do suicídio serão apuradas pelo Comando da Polícia Militar.

O programa da Rede Record, Cidade Alerta, filmou o fato desde o início das ameaças de Domingues até o momento do tiro. A emissora transmitiu as cenas do ocorrido parando instantes antes do tiro.

Isso provocou polêmica polêmica no meio jornalístico. Principal concorrente da Rede Record, a Band declarou que tinha as imagens mas não veiculou, por que isso fere a ética do jornalismo.