PM de Alagoas vai receber prêmio nacional de direitos humanos

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 3 de dezembro de 2003 as 11:25, por: cdb

A Polícia Militar (PM) de Alagoas recebeu do Conselho de Defesa Social da Pessoa Humana, órgão ligado à Presidência da República, o prêmio nacional de direitos humanos devido o trabalho realizado na área de segurança pública, em especial na mediação de conflitos sociais. Pela primeira vez no País uma PM é indicada para receber um prêmio como este.

 A solenidade de entrega será realizada em Brasília, no próximo dia 10, quando se comemora o Dia Universal da Declaração dos Direitos Humanos.
    

-Esse prêmio é um reconhecimento do povo brasileiro aos serviços prestados pela PM alagoana, que vem realizando um trabalho na área de direitos humanos que serve de exemplo para as demais corporações, principalmente na parte de mediação de conflitos sociais- ressaltou o comandante geral da PM, coronel Edmilson Cavalcante.
    

A comunicação do recebimento do prêmio foi feita ao Centro de Gerenciamento de Crises, Direitos Humanos e Polícia Comunitária, criada oficialmente pela PM em 2001, ainda na primeira gestão do Governo Ronaldo Lessa (PSB). Mas, segundo o coordenador do Centro, tenente-coronel Adilson Bispo, a corporação já vinha realizando um trabalho na área de direitos humanos desde 99.
    

Este ano, foram feitas mudanças no regulamento, quando o prêmio passou a contemplar oito categorias. Na categoria segurança pública, a PM de Alagoas – pioneira na implantação do Centro de Gerenciamento de Crises, Direitos Humanos e Polícia Comunitária, concorreu com mais 12 entidades e instituições de todo o País. No ano passado, a corporação também foi indicada, mas não ganhou o prêmio.
    

 A indicação da PM alagoana partiu do Conselho Estadual de Direitos Humanos, da Assembléia Legislativa e do Conselho de Direitos Humanos da Universidade Federal da Paraíba, que chegou a convidar o órgão para ajudar a implantar esse trabalho naquele estado.
    

Formado por dez oficiais, três sargentos, um cabo e um soldado, o Centro de Gerenciamento de Crises, Direitos Humanos e Polícia Comunitária tem como objetivo ajudar o comando da PM a promover políticas nas áreas de direitos humanos e política comunitária. Mas o maior sucesso alcançado foi nas operações de cumprimento de mandados de reintegração de posse, sem o uso de violência.
    

De acordo com o comandante geral da PM, coronel Edmilson Cavalcante, em pouco mais de quatro anos de Governo foram cumpridos 576 mandados judiciais de reintegração de posse, sendo 272 imóveis urbanos e 304 rurais, sem registro de mortos, feridos ou qualquer outro tipo de violência.