Plano de capitalização da Petrobras está ligado ao aumento das reservas

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 15 de setembro de 2009 as 12:09, por: cdb

A Petrobras ampliará suas reservas petrolíferas entre 30 e 35 bilhões de barris em três anos devido às recentes descobertas em águas profundas no litoral brasileiro, afirmou o presidente da companhia, José Sérgio Gabrielli. Isso dará à Petrobras cerca de 50% mais reservas do que a ExxonMobil, a maior companhia de petróleo com capital aberto do mundo, e ajudará o Brasil a se tornar um dos maiores produtores de petróleo do mundo com capacidade de abastecer sozinho o globo por mais de 400 dias nos atuais padrões de consumo.

– Sem sequer considerar o petróleo em novas áreas, estamos planejando produzir, até 2020, 5,7 milhões de barris por dia, quase metade da atual produção nos dois maiores produtores (combinados do mundo). Temos várias oportunidades – afirmou Gabrielli à agência inglesa de notícias Reuters, durante entrevista no escritório da companhia em Nova York.

A Petrobras produz atualmente pouco mais de 2 milhões de barris por dia de petróleo no Brasil. Gabrielli também falou, durante uma apresentação, que as reservas da Petrobras poderiam incluir 14 bilhões de barris das atuais reservas, mais entre 10 bilhões e 16 bilhões nas recentes descobertas do pré-sal e outros 5 bilhões a serem entregues à Petrobras pelo governo brasileiro.

Em troca dos 5 bilhões de barris de petróleo, o governo brasileiro – que controla um terço das ações e administra a Petrobras – receberia uma parte potencialmente maior do lucro da empresa. O novo petróleo, descoberto em águas ultraprofundas na costa brasileira desde 2007 e localizado sob uma extensa camada de sal, exige que a Petrobras financie centenas de bilhões de dólares em investimentos necessários para explorar os campos.

A Petrobras espera ter sete plataformas de perfuração na bacia de Santos até o fim do ano, com custo atual de perfuração de 100 milhões de dólares por poço, disse Gabrielli, acrescentando que os custos de perfuração deverão diminuir no futuro.

Plano de investimentos

A Petrobras já tem um plano de investimentos de US$ 174 bilhões até 2013. Gabrielli espera que esses planos sejam ampliados com a aprovação de uma reforma no setor petrolífero do Brasil. Mas a proposta de reforma pode enfrentar dificuldades durante sua tramitação no Congresso.

– Será muito mais duro do que nossa rotina – disse Gabrielli a analistas.

A proposta de nova Lei do Petróleo, que daria ao Estado um controle maior sob os campos do pré-sal – uma das regiões petrolíferas mais promissoras do mundo – pode ser aprovada no início de 2010.

– Se tivermos uma aprovação rápida, pode estar finalizada até fevereiro – disse.

Gabrielli acrescentou que não espera qualquer mudança nas concessões existentes no Brasil como resultado da nova lei e acrescentou que a nova capitalização da Petrobras pode ocorrer em entre 30 a 45 dias após a aprovação da lei. Os planos de capitalização envolvem a oferta de novas ações da Petrobras tanto para investidores privados quanto para o governo brasileiro, equivalente a até um terço do valor da companhia, segundo Gabrielli.