PFL vai renovar com Nizan Guanaes

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 30 de janeiro de 2002 as 19:43, por: cdb

A direção nacional do PFL manifestou nesta quarta-feira a certeza de que renovará com o publicitário Nizan Guanaes o contrato que termina nesta quinta-feira, logo depois da transmissão de mais um programa eleitoral com a propaganda da candidata do partido à Presidência, a governadora Roseana Sarney (Maranhão). Nizan conversou por mais de quarenta minutos com Roseana. Aconselhou-a a rodar o País. Ele quer que Roseana se exponha mais ao debate político, para mostrar que tem conteúdo, consistência, substância e sabe o que está dizendo, além de poder mostrar o que fez de bom durante seus dois governos no Maranhão.

Nizan acha que a base governista deveria ter apenas um candidato e arrisca-se a dizer que até a definição do nome daquele que vai disputar a Presidência, muito vai acontecer. O publicitário é disputado também para a campanha do ministro José Serra (Saúde), candidato do PSDB à Presidência. O empenho para que Nizan passe a integrar a equipe de Serra vem, principalmente, do presidente Fernando Henrique Cardoso.

Mas a possibilidade de haver de fato uma aliança dos partidos aliados e de a decisão sobre a chapa governista só ser tomada em maio, animou o comando do PFL a renovar o contrato com o publicitário. Nizan disse ao presidente nacional do PFL, senador Jorge Bornhausen (SC), que está muito satisfeito em trabalhar com o partido. Ele se considera o maior responsável por Roseana ter ultrapassado os 20% de preferência dos eleitores e por ter encostado em Luiz Inácio Lula da Silva, do PT, por enquanto o favorito. O fato impulsionador da subida de Roseana seria, na opinião do publicitário, os programas gratuitos que ele comandou. Com eles, conseguiu mostrar para o Brasil uma candidata diferente, que antes era conhecida por poucos, mesmo sendo filha do senador e ex-presidente José Sarney (PMDB-AP).

Apesar de tão requisitado, Nizan Guanaes costuma ter dificuldades de convivência com alguns candidatos – não teve nenhum problema com Fernando Henrique, para o qual fez as duas campanhas vitoriosas de 1994 e 1998 para a Presidência da República. Os desentendimentos com José Serra, em 1996, durante a campanha para a Prefeitura de São Paulo, foram muitos. Roseana tem queixas dele, embora reconheça sua competência. Acha-o autoritário.

Uma campanha política, no entanto, exige sacrifícios. O programa do PFL, que vai ao ar nesta quinta, foi encerrado numa madrugada, na semana passada. Por isso, acabou impedindo o encontro que a governadora teria com o presidente do PMDB, Michel Temer (SP). Roseana vai nesta quinta a São Paulo participar do SP Fashion Week. Deve, enfim, encontrar-se com Temer. Vai tentar fazer o mesmo que Serra: atrair o PMDB para sua candidatura. A viagem a São Paulo é feita a conselho de Nizan Guanaes.